Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Quem andar pelas ruas do Brasil ou passar por alguma universidade daquele país, terá decerto a mesma visão que teria em tantos outros lugares semelhantes noutros países: cada um para o seu canto, os jovens olham para o telemóvel e, de vez em quando, desatam a rir. Cientes de que estão em público, podem até evitar uma gargalhada. Mas a reação não tem como enganar: a piada tinha mesmo piada.

Há, no entanto, uma diferença que separa os jovens brasileiros da maioria dos seus iguais no resto do mundo. Se, noutras paragens, as gargalhadas contidas se devem a um qualquer humorista, YouTuber ou a uma mensagem num grupo de amigos, no Brasil a origem é outra. O mais certo é que a piada seja Jair Bolsonaro, o candidato da extrema-direita e favorito a vencer as eleições presidenciais do próximo dia 28.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.