Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Há um problema no mundo que ainda ninguém conseguiu resolver. Stephen Hawking tentou, mas em vão. É que há duas formas de explicar como é que o Universo funciona. Casá-las significaria afastar a névoa que cobre o nosso conhecimento sobre o tempo, os buracos negros, o estalar de dedos que deu origem a tudo isso.

Carlo Rovelli, cosmólogo, físico teórico e escritor de obras como “Sete Breves Lições Sobre Física” ou “A Realidade Não É O Que Parece”, pode ter as alianças para este casamento. E vai estar este sábado na Aula Magna de Lisboa, na conferência “Ciência e Universo” da Fundação Francisco Manuel dos Santos, a falar sobre o tema que tanto intriga os cientistas com os físicos teóricos Michio Kaku e Vítor Cardoso.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.