Dark Mode 48,2 kWh poupados com o MEO
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Hoje é um bom dia para mudar os seus hábitos. Saiba mais

i

in4mal/iStockphoto

in4mal/iStockphoto

Em plena quarentena vale a pena recordar: 13 vantagens de estar em casa

Fazer exercício físico sem ninguém nos ver e usar roupa mais confortável. A quarentena não é de todo ideal, mas há motivos bons que podemos destacar para nos motivarmos mais um pouco a ficar em casa.

Ficar mais tempo na cama

Certo que trabalhar a partir de casa implica a criação de rotinas — caso contrário é um convite à distração —, mas a verdade é que a maioria das pessoas vai poupar tempo ao não ter de sair de casa e deslocar-se para o escritório (ou qualquer que seja o local de trabalho). É um ganho que pode ser usado à descrição de cada um e que pode traduzir-se, se for essa a vontade, em minutos extra na cama. Em tempos de quarentena pode até ser possível regular os horários de sono e fazer frente à respetiva indústria.

E caso seja preciso recordar a importância do sono, aqui vai: quando se dorme frequentemente menos de seis ou sete horas por noite pode ocorrer a destruição do sistema imunitário e a duplicação do risco de se vir a sofrer de cancro. A essa lista acrescentam-se doenças cardíacas e condições psiquiátricas como a depressão ou a ansiedade, como já antes escreveu o Observador.

Não pensar em que roupa vestir

Estar em casa significa que algumas preocupações ficaram em suspenso (incluindo, para algumas mulheres, o uso de sutiãs). Certo que acordar e vestir-se como se fosse trabalhar é uma recomendação para quem, por estes dias, tem o escritório em casa. Mas, à partida, não será necessário tanta atenção como se seguisse para a rua. Há até quem prefira apenas escolher um blazer e juntá-lo às calças de pijama. Mas nada como consultar um guia para os dias de isolamento.

Não usar maquilhagem (e a pele agradece)

Com as medidas de isolamento a deixarem-nos praticamente fechados em casa em diferentes pontos do globo, são muitas as celebridades que estão a deixar os pincéis de maquilhagem de lado, preferindo usar a pele a nu — uma mensagem que está a ser transmitida através das redes sociais. Lady Gaga, Amanda Holden, Jessica Alba ou Cindy Crawford são alguns exemplos.

Menos pode ser muito mais ao nível dos cuidados de higiene e beleza por esta altura, e reduzir o uso de maquilhagem é só uma etapa

Getty Images/iStockphoto

Controlar melhor o que se come

À partida não existem tantas correrias como num dia normal, pelo que será mais fácil controlar o que se come — considerando, naturalmente, as restrições alimentares que possam surgir, uma vez que as idas aos supermercados serão mais escassas e fazer encomendas online pode ter os seus constrangimentos. Mas a ideia a reter é esta: na medida do possível, deve procurar manter um estilo de vida saudável, uma realidade que é até aconselhável para quem está agora em quarentena e a trabalhar a partir de casa — mesmo que se use, de vez em quando, a “desculpa” do isolamento social para comer um doce ou outro.

Ainda na ótica da alimentação: estar em casa pode fazer com que tenhamos tempo para saborear as coisas. O jornal britânico The Guardian escreve que saborear as pequenas coisas, ao invés de entrar em piloto automático, é importante porque dá a oportunidade ao cérebro de processar o prazer, “o que aumenta a serotonina, o neurotransmissor das sensações boas que ajuda a elevar o humor e a fazer com que nos sintamos calmos“.

Em última análise, momentos como estes, em que racionar a comida pode ser a opção de algumas famílias, podem impactar também ao nível da redução do desperdício alimentar.

Contribuir menos para a poluição

Desde que o novo coronavírus surgiu, no final de 2019, os níveis de poluição têm decrescido significativamente. No final de fevereiro era notícia que o abrandamento da indústria na China, provocado pelo surto da Covid-19, levou a um menor consumo de carvão após o ano novo, o que fez com que as emissões de dióxido de carbono diminuíssem em 25%. Em fevereiro o tráfego aéreo já tinha reduzido em 70% (isto por comparação com o registado no mês anterior), as fábricas tinham utilizado a mais baixa quantidade de carvão desde 2016 e a produção de material em aço também estava no nível mais baixo desde há cinco anos.

Em Itália, o país da Europa que mais sofre com o novo coronavírus, verificam-se circunstâncias semelhantes e isso é fácil de compreender: há menos veículos a serem conduzidos e as emissões industriais estão em queda. O The Guardian cita um especialista norte-americano que sugere que “dezenas de milhares de mortes prematuras devido à poluição do ar podem ter sido evitadas” na sequência do ar mais limpo na China.

Para completar o raciocínio, vale a pena recordar que, em agosto último, Portugal era o quarto país da União Europeia com maior poluição sonora e dos que menos reciclava. Os dados do gabinete de estatísticas da União Europeia, o Eurostat, colocavam o país em oitavo lugar na lista dos que menos reciclava, abaixo da média da UE.

Pôr séries em dia

Estar em casa é também — assumindo que os “tempos livres” existem — uma oportunidade para pôr as séries em dia. Não faltam serviços de streaming com opções para todos os gostos, mas aqui ficam algumas sugestões já antes publicadas no Observador: de “Cobra Kai” a “Succession”. Também a A Medeia Filmes disponibiliza gratuitamente e no seu site três filmes por semana.

… e leituras também

O mesmo conselho aplica-se à leitura: este pode ser um período para tirar o pó aos livros e acabar de vez com aquele volume que estava deixado ao abandono há algum tempo. Em caso de indecisão, aqui ficam cinco sites com e-books grátis para download.

Ter mais tempo para a família…

Este é também um tempo passado em família — o que nem sempre pode ser fácil em alturas de mais trabalho. Caso haja crianças dentro de casa, aqui ficam nove ideias para entretê-las.

… e pôr as conversas em dia com os amigos

O isolamento social — e o estado de emergência então decretado — não nos permite reunir com os amigos e familiares para as habituais jantaradas, mas há sempre alternativas: as aplicações que felizmente permitem fazer videochamadas, o que é também uma forma de rever algumas amizades e pôr a conversa em dia. Em caso de dúvidas operacionais, é ler este artigo e este também.

Fazer exercício físico sem ninguém nos ver

Os ginásios Fitness Hut podem estar temporariamente fechados, devido ao impacto da Covid-19, mas que isso não sirva de desculpa para se ficar colado ao sofá — assumindo, naturalmente, que o leitor se encontra bem de saúde. A pensar no que a quarentena pode fazer ao nosso bem-estar físico, a cadeia de ginásios lançou um sistema de aulas virtuais que podem ser acompanhadas pelas redes sociais aqui. A iniciativa é para sócios e não sócios porque, diz a empresa de fitness, “o importante é que todos possam continuar a praticar exercício físico a partir de casa”.

Além do Fitness Hut, e de outras cadeiras como a Holmes Places, que também aposta no conceito #HolmesatHome, há treinadores que querem pôr qualquer pessoa a treinar dentro de casa através das redes sociais, uma lista que pode consultar neste artigo. As aplicações para fazer exercício também são uma boa aposta, pelo que pode dar uma olhadela a exemplos como Tone ItUp ou Seven.

Varandas, janelas, terraços, telhados. Vale tudo para aproveitar os raios de sol

Getty Images/iStockphoto

Tratar dos afazeres pendentes

Esta é fácil: agora é uma boa oportunidade para fazer uma lista de todos os trabalhos pendentes aí por casa e ir tratando do assunto à vez, seja lavar as janelas, dar um jeito nas prateleiras, destralhar o armário ou organizar a despensa. O céu — neste caso o teto — é o limite.

Aproveitar como nunca a varanda

Pausas no trabalho, mesmo em casa, são importantes. E se houver oportunidade de ir à varanda ou à janela apanhar ar fresco, tanto melhor. Ah, e não se esqueça de acompanhar tudo isto com uma bela banda sonora.

Bater palmas às 22h à janela (ou atuar ao vivo se tiver um talento)

Eram 22h no dia 14 de março quando vários portugueses saíram à rua para bater palmas em homenagem aos profissionais de saúde. O mesmo voltou a repetir-se no dia a seguir. À medida inédita no país juntaram-se relatos de cenários idênticos em Madrid e Barcelona. Em Itália há mesmo quem cante à janela para os vizinhos ouvir e até quem passe música, prova de que dá para dar espetáculo mesmo dentro de casa.

Links promovidos

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.