Já não precisa de falar “segurês”!

23 Julho 2018

Dúvidas sobre um termo, ideias feitas ou uma cruz mal assinalada podem refletir-se em escolhas erradas de coberturas para os seguros. Se não domina o ‘segurês’, leia este artigo.

Quando a oferta é muita, a melhor ‘arma’ que temos, enquanto consumidores, é a informação. Os seguros são produtos que requerem muita atenção na hora de fazer escolhas, porque as coberturas não são todas iguais. Quando contrata um seguro, convém saber exatamente que coberturas está a contratar e estar consciente de que o seguro mais adequado às suas necessidades não é necessariamente o mais caro. Conheça as principais diferenças e aspetos das coberturas dos seguros auto, casa, vida e saúde.

AUTO

Um seguro auto pode cobrir apenas danos contra terceiros ou também danos próprios. Qual é a diferença?

Seguro contra terceiros. Também chamado de seguro de responsabilidade civil, é obrigatório e é também o mais comum. Qualquer seguro auto cobre a responsabilidade civil. Com este seu seguro, se for culpado de um acidente só cobre os danos provocados ao outro condutor e ao respetivo carro.

Seguro danos próprios. Por vezes incorretamente apelidado de seguro contra todos os riscos, cobre também danos provocados na própria viatura, mesmo que seja o culpado do sinistro. Permite escolher coberturas adicionais às do seguro obrigatório que, por regra, não vêm incluídas, como a quebra isolada de vidros; choque, colisão e capotamento; incêndio, raio ou explosão; furto ou roubo; atos de vandalismo; fenómenos da natureza; veículo de substituição e assistência em viagem.

O que todos cobrem: responsabilidade civil

A responsabilidade civil garante as indemnizações devidas por danos corporais e materiais causados a terceiros, transportados ou não, até ao limite do capital subscrito, e por reparações devidas a terceiros em consequência de furto ou roubo do veículo. Tal como a responsabilidade civil, a proteção jurídica está também incluída em qualquer seguro de carro, por mais básico que seja.

Como escolher

Optar por um seguro mais completo sai mais caro, à partida, mas pode ser visto como um investimento e não um gasto. Para os mais cuidadosos, aqueles que gostam de ter o carro sempre impecável, que vivem ou trabalham em zonas problemáticas, de difícil estacionamento, ou em zonas propícias a incêndios, por exemplo, é aconselhável o seguro contra danos próprios, sobretudo se o carro for novo. Uma opção interessante pode ser a contratação do seguro mais completo durante os quatro primeiros anos de vida do carro. A razão está relacionada com a forma como as seguradoras indemnizam em caso de acidente. Se houver perda total do carro, a seguradora não irá pagar o que vale o carro no mercado, mas sim o valor que está na apólice, que distingue entre o valor de um carro novo, o valor de mercado e o valor venal (o valor que o veículo teria no mercado se o seu proprietário pretendesse vendê-lo à data do sinistro).

CASA

Sabe o que é obrigatório por lei e quais as coberturas facultativas ou adicionais?

Por lei apenas existe a obrigação de contratar um seguro de casa contra incêndio relativamente a um edifício constituído em regime de propriedade horizontal, que garanta a fracção autónoma e as partes comuns existentes. Não existe esta obrigação legal para moradias isoladas.

Cobertura obrigatória para crédito à habitação: imóvel. Se está a pagar um crédito à habitação, o banco vai pedir-lhe que faça um seguro para a sua casa, vulgarmente chamado de multirriscos. O seguro de casa é aconselhável a qualquer proprietário ou ocupante de uma habitação. Assegura o pagamento das reparações em caso de danos graves (por incêndio, raio e explosão, fenómenos da natureza, danos por água, choque e impacto de veículos terrestres, queda de aeronaves, derrame acidental de óleo, atos de vandalismo e de grevistas); danos menores (quebra ou queda de objetos, danos estéticos ou por fumo ou calor, riscos elétricos, demolição e remoção de escombros); ou danos no imóvel por furto ou roubo. Nesta cobertura base, os danos causados a terceiros poderão estar abrangidos pelo seguro, ou seja, se parte do seu telhado cair em cima do carro do vizinho, o seguro indemniza-o.
A responsabilidade civil está incluída neste seguro.

Cobertura complementar: recheio. Não é obrigatória, mas adicional. Quem tem um seguro para a sua habitação tem a possibilidade de estender o seguro ao recheio da casa, de forma a proteger também os bens como eletrodomésticos, móveis, jóias e outros bens materiais valiosos. Se a casa for arrombada e assaltada e os ladrões levarem um cofre com ouro, a reparação da porta pode ser assegurada pela cobertura imóvel, mas a indemnização referente às joias furtadas só será paga se tiver contratado a cobertura de recheio.

Responsabilidade Civil. Na LOGO, a apólice de responsabilidade civil familiar é uma cobertura que já vem incluída no leque de coberturas disponibilizadas pelo seguro de recheio de casa, o que significa que é desnecessária a contratação de um seguro de responsabilidade civil familiar extra.

VIDA

O seguro de vida é obrigatório para quem tem um crédito à habitação. Neste caso, não é a lei que o exige, mas sim os bancos, para efeitos de proteção e indemnização do montante do capital em dívida ao banco responsável pela concessão do crédito. Também no seguro de vida há mais do que uma opção:

A grande diferença está em que, na proteção mais completa, o segurado está protegido mesmo que não fique dependente de terceiros para comer ou vestir-se e ‘apenas’ fique incapaz de voltar a trabalhar.

SAÚDE

Ter um seguro de saúde é importante para que tenha acesso a um serviço de qualidade, com os melhores especialistas, nos melhores hospitais, clínicas e outros serviços de saúde privados, sem ter de enfrentar listas de espera. Hoje, são tantos os seguros e planos de saúde que se torna difícil escolher.

Seguro por módulos

No seu caso, pode não haver necessidade de contratar o seguro com o preço mais elevado do mercado. E uma boa alternativa pode ser contratar um seguro de saúde por módulos, de forma a incluir no seguro de saúde apenas os serviços de que realmente precisa. Seleciona os módulos que melhor respondem às suas necessidades e paga apenas pelo que realmente utiliza. Desta forma, conseguirá um melhor preço.

Esta modalidade já é comercializada pela LOGO, que disponibiliza de forma independente os módulos Consultas, Dentista, Médico em Casa, Internamento, Complemento Internamento, Oftalmologista e Bem-Estar.

Para escolher um seguro, o melhor que tem a fazer é simular. Pode fazê-lo online, em poucos minutos. Consegue também contratar um seguro sem necessidade de qualquer deslocação, sem papéis, sem perdas de tempo e sem ter de abdicar de uma das coisas mais importantes para o consumidor: a simplicidade. E só há total simplicidade quando se fala uma linguagem que todos compreendem.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Conteúdo produzido pelo Observador Lab. Para saber mais, clique aqui.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: obslab@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)