Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“Olá apaixonados adeptos do Benfica. Gravo este vídeo junto com o Benfica para informar que, neste momento da minha vida, decidi encerrar a minha carreira de jogador profissional de futebol. E como não poderia ser diferente, quero celebrá-lo com muita alegria juntamente com cada um de vocês. Convido a todos para que amanhã, a partir das 19h30, compareçam no estádio da Luz para darmos início a mais uma época e também os momentos finais da minha carreira profissional de futebol. Contamos com a presença de todos, um grande abraço e vemo-nos amanhã. Carrega Benfica!”.

Jonas despediu-se como chegou ao Benfica e como se manteve ao longo de cinco anos: bem disposto, a sorrir, a deixar elogios ao clube, a agradecer o apoio dos adeptos. Da Turquia ao Brasil passando pela Arábia Saudita, o avançado de 35 anos foi recebendo propostas para deixar a Luz e duplicar ou triplicar o ordenado na parte final da carreira. Recusou sempre. Com isso, aumentou o legado que deixa na história dos encarnados como segundo maior goleador estrangeiro de sempre e detentor de marcas que só se conseguem comparar em alguns casos com as de Eusébio. A partir desta quarta-feira, o Pistolas deixará de disparar. Mas no seu coldre ficará um reportório de registos e atitudes que o colocam como um dos melhores que passaram pelo Benfica.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.