1976

Ramalho Eanes ganhou as primeiras eleições presidenciais em 1976. Aqui já está em funções em 1977

LUSA

1976

Pinheiro de Azevedo, um dos primeiro-ministros mais populares dos Governos provisórios, lançou-se numa candidatura presidencial em 1980.

ALFREDO CUNHA / LUSA

1976

Sofreria uma ataque cardíaco em plena campanha e passou os últimos dias do período eleitoral no hospital.

ALFREDO CUNHA / LUSA

1980

Soares Carneiro era o candidato apoiado pela Aliança Democrática. A tragédia de Camarate aconteceu durante a campanha para estas eleições

LUIS VASCONCELOS/LUSA

1980

Outro candidato às eleições de 1980 foi Otelo Saraiva de Carvalho, repetindo a candidatura de 1976.

LUIS VASCONCELOS /LUSA

1980

Ramalho Eanes voltou a candidatar-se em 1980 e teve o apoio do PS, apesar dos anti-corpos de Mário Soares

ALFREDO CUNHA / LUSA

1980

Apesar de ser a segunda candidatura, Otelo acabou por ficar em terceiro lugar, com 16,46% dos votos.

MANUEL MOURA / LUSA

1980

Ramalho Eanes partiu para o seu segundo mandato com 56,4% dos votos e sem o apoio pessoal de Soares, que retirou o apoio ao candidato.

ALFREDO CUNHA / LUSA

1986

Soares arrancou a sua candidatura com a máquina pouco oleada do PS, mas conseguiu ficar em segundo na primeira volta.

LUIS VASCONCELOS / LUSA

1986

A campanha de Freitas do Amaral revolucionou as eleições em Portugal, com o seu sobretudo e banhos de multidão

ANTÓNIO COTRIM / LUSA

1986

Sem apoio do PS, Salgado Zenha avançou com o apoio do PCP e do PRD. Ficaria em terceiro lugar.

GUILHERME VENANCIO / LUSA

1986

Manuela Eanes entrou na campanha para apoiar Salgado Zenha. Ramalho Eanes foi um dos maiores pontos de discórdia entre Soares e Zenha no PS

ACACIO FRANCO / LUSA

1986

Ângelo Veloso era o candidato original do PCP, mas desistiu a favor de Zenha.

ACACIO FRANCO / LUSA

1986

Maria de Lourdes Pintassilgo foi a primeira mulher a concorrer nas eleições presidenciais.

ANTONIO COTRIM / LUSA

1986

Sem apoio partidário, Maria de Lourdes Pintassilgo conseguiu concluir a campanha e foi a votos. Obteve 7,38% dos votos.

LUSA

1986

Comício de encerramento da campanha de Freitas na Alameda, em Lisboa

ACACIO FRANCO / LUSA

1986

Na segunda volta, Freitas do Amaral voltou a dar a volta ao país contando com o apoio da família, especialmente da mulher, Maria José.

LUSA

1986

Mário Soares ganhou a segunda volta, graças ao apoio essencial do PCP. Foi o primeiro Presidente da República civil depois do 25 de abril

ALFREDO CUNHA / LUSA

1991

O PCP apoiou Carlos Carvalhas para Presidente da República. Teve 12,92% dos votos.

GUILHERME VENANCIO / LUSA

1991

Basílio Horta foi o candidato da direita em 1991, contando com o apoio apenas do CDS, partido que ajudou a fundar.

ACACIO FRANCO / LUSA

1991

Basílio Horta viria a criticar Soares pelo seu papel na descolonização e confrontou-o com o escândalo do fax de Macau.

ANTONIO COTRIM / LUSA

1991

Em 1991, Soares recebeu um bónus indesejado quando o PSD não apresentou candidato e Cavaco deu indicação de voto no histórico socialista.

ACACIO FRACO / LUSA

1996

Cavaco Silva só deixou de ser primeiro-ministro quatro meses antes das presidenciais. A campanha foi curta e perdeu

ANTONIO COTRIM / LUSA

1996

Jorge Sampaio, ao lado de Maria José Ritta, foi eleito com 53,9% dos votos

LUSA

1996

Jerónimo de Sousa ainda não era secretário-geral (aqui ao lado do líder, Carvalhas) mas dançou e encantou o PCP

MANUEL DE MOURA / LUSA

1996

O confronto renhido tornou esta uma das campanhas mais animadas dos últimos anos

ANTONIO COTRIM / LUSA

2001

Recém-criado, o BE candidatou Fernando Rosas e obteve apenas 3% dos votos

LUSA

2001

Joaquim Ferreira do Amaral candidatou-se com o apoio do PSD e fez uma campanha sem alento. Único à direita, teve 34,6% dos votos

LUSA

2001

Jorge Sampaio conseguiu ser reeleito confortavelmente com 55,5% dos votos

LUSA

2001

Jorge Sampaio convidaria o líder do PCP, Carlos Carvalhas, para o Conselho de Estado

INACIO ROSA / LUSA

2001

Nesse ano, o PCP lança para a corrida António Abreu, que era pouco conhecido

LUSA

2006

Francisco Louçã candidatou-se às presidenciais pela primeira vez e teve 5,3% dos votos

ANTONIO COTRIM / LUSA

2006

Manuel Alegre, aqui antes de um debate televisivo, avançou com uma candidatura independente depois de Soares já ter o apoio do PS

ANTONIO COTRIM / LUSA

2006

Cavaco conseguiu ser eleito à primeira volta por pouco – 50,5%

JOAO RELVAS / LUSA

2006

Jerónimo de Sousa foi candidato presidencial pela segunda vez e obteve 8,6% dos votos

INACIO ROSA / LUSA

2006

Mário Soares teve 14,3% dos votos ficando atrás de Manuel Alegre

ANDRE KOSTERS / LUSA

2011

Manuel Alegre depois da zanga com o PS em 2006 foi o candidato oficial do partido em 2011, mas teve apenas 19,7%

ANDRE KOSTERS / LUSA

2011

O independente Fernando Nobre teve 14,1% dos votos aproximando-se da votação do candidato apoiado pelo PS, Manuel Alegre

LUSA

2011

O deputado do PS Defensor de Moura foi uma das novidades da campanha e protagonizou um aceso debate televisivo com Cavaco Silva

ARMENIO BELO / LUSA

2011

Francisco Lopes foi o candidato do PCP. Teve 7,1% dos votos

NUNO VEIGA / LUSA