BI

Uma locomotiva com quase dois metros

Usain St. Leo Bolt, 1.95m, 94 quilos. Nasceu em 21 de agosto de 1986, em Trelawny, Jamaica. Vive em Kingston, a capital do país.

Alexander Hassenstein/Getty Images

Number 1

O senhor recordes

Recordes do mundo: 100m: 9.58s (Berlim, 2009); 200m: 19.19s (Berlim, 2009); 4x100m: 36.84 segundos (Londres, 2012)

Recordes olímpicos: 100m: 9.63s (Londres, 2012); 200m: 19.30s (Pequim, 2008)

Alexander Hassenstein/Getty Images

E começa…

Pequim 2008, o primeiro parque de diversões de Bolt

Depois de uma estreia fraquinha em Atenas 2004, o jamaicano ganhou as três provas em que entrou (100m, 200m e 4x100m) em Pequim. Começou na China a lenda do homem mais rápido da história do Jogos Olímpicos.

AFP/Getty Images

Go!

Mister reação

Em Pequim 2008 Usain Bolt derrotou uma das suas fraquezas: a reação no arranque. Nos 100m disparou 0.165 segundos depois do disparo. Uma seta.

Getty Images

Role play

Dois monstros com os papéis trocados

Usain Bolt festeja como Mo Farah e o britânico celebra como Bolt. Ambos serão eternos no atletismo. Aqui, em Londres 2012, venceram os 4x100m e os 5000m.

AFP/Getty Images

O momento

It’s all about me

“Muitas lendas vieram antes de mim. Mas agora é o meu momento” (Londres 2012)

AFP/Getty Images

Bang

“Sei o que custa ser um campeão…”

“O que posso fazer? Só podes fazer o teu trabalho e deixar as pessoas acreditarem no que querem. Eu trabalho arduamente porque sei o que custa ser um campeão. Eu sei o que quero e estou focado no que preciso de fazer para ganhar” (2012)

Getty Images

Red devil

A outra paixão

Em Old Trafford, em 2012. Usain Bolt é adepto do Manchester United. José Mourinho pode sempre pensar duas vezes. Um avançado com alguma velocidade e tal…

Shaun Botterill/Getty Images

Mais um tri

Se havia dúvidas…

“Houve um pouco de mais pressão, mas não me preocupou muito”, disse em Londres 2012, sobre as consequências do sucesso em Pequim 2008. “Mas houve uma expectativa diferente. Fui lá só para mostrar ao mundo que eu podia ganhar outra vez.” E ganhou, três vezes.

Cameron Spencer/Getty Images

Coucou

Estou de volta, Rio de Janeiro

O Estádio Olímpico, o Engenhão, enchia só para o ver. A expectativa era muita. O povo gritava por ele. O mundo queria saber se ele conseguiria o tri-tri. Ou seja, vencer pela terceira vez os 100m, 200m e 4x100m.

Shaun Botterill/Getty Images

Novidades?

O Rio de Janeiro continua lindo…

E a pedalada de Usain Bolt também. O jamaicano venceu a primeira medalha de ouro no Rio nos 100m. Era a sétima vez que mordia o ouro. Faltavam duas para fechar o ciclo perfeito.

ANTONIN THUILLIER/AFP/Getty Images

Tic-tac

“Estou a ficar velho”

“Corri a fundo na curva. Na reta o meu corpo não respondeu. Estou a ficar velho”, disse, depois da vitória nos 200 metros, onde pretendia cheirar o seu recorde (19.30s). O jamaicano fez 19,78s no Rio de Janeiro.

Ezra Shaw/Getty Images

Shhhhh

“Sou o maior”

“Não preciso de provar mais nada. O que mais posso fazer para mostrar ao mundo que sou o maior? Estou a tentar ficar entre os maiores de sempre, junto com [Muhammad] Ali e Pelé. Espero, depois destes Jogos Olímpicos, estar nesse grupo…”

Getty Images

Trono

Bolt ou Phelps?

“Não posso dizer [quem é o melhor], fazemos coisas completamente diferentes. Ele mostrou que é um dos melhores, ganhou a muitos outros, dominou e provou que é o melhor no que faz. Respeito-o muito porque fez muito pelo desporto. Não poderia escolher entre mim e ele. Somos bons cada um na sua modalidade”

Dean Mouhtaropoulos/Getty Images

4x100m

Adivinhem…

Pouco depois de receber o testemunho naquela terá sido a última vez em que participou nos Jogos Olímpicos. Palpites?

ADRIAN DENNIS/AFP/Getty Images

Pois…

Surprise, surprise: tri-tri!

Usain Bolt, Nickel Ashmeade, Asafa Powell e Yohan Blake, os homens mais rápidos do mundo em 4x100m. Terminaram a final em 37.27s, à frente dos japoneses e canadianos (EUA acabaram em terceiro, mas foram desclassificados). Bolt venceu 100m, 200m e 4x100m em três edições dos Jogos Olímpicos (2008, 2012, 2016).

ANTONIN THUILLIER/AFP/Getty Images

Despedida?

Até sempre, campeão

Usain Bolt tem agora nove medalhas de ouro, alcançando os norte-americanos Carl Lewis e Mark Spitz, a soviética Larisa Latynina e o finlandês Paavo Nurmi. Apenas Michael Phelps está noutro patamar, com 28 medalhas (23 de ouro).

Shaun Botterill/Getty Images