Dia 1

Trump toma posse

A mão esquerda por cima de duas Bíblias, a direita levantada. Começou aqui, neste momento, o mandato de Donald Trump à frente da Casa Branca. Foi no dia 20 de janeiro

Dia 1

Quantas pessoas?

A minha festa foi maior que a tua. A primeira polémica de Trump já oficialmente Presidente dos EUA. Depois das fotos comparativas com as da posse de Obama, Trump continuou a dizer que teve mais gente na cerimónia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Dia 1

“América primeiro”

Foi neste preciso momento que quem ainda acreditava num Donald Trump moderado perdeu todas as esperanças. Ao contrário do que é habitual nestas cerimónias, o discurso da tomada de posse de Trump foi de divisão e não de união. “A América primeiro”, foi a expressão que ficou.

Dia 2

Marcha das Mulheres

Foram milhares e milhares que encheram as ruas de várias cidades dos Estados Unidos e capitais um pouco por todo o mundo. A primeira grande manifestação anti-Trump foi protagonizada pelas mulheres, um dia depois da tomada de posse.

Dia 3

As primeiras ordens executivas

Donald Trump começou a desmanchar a marca que Barack Obama deixara em Washington (em rigor, esse trabalho começou no primeiro dia com a ordem sobre o Affordable Care Act, mais conhecido como Obamacare). Dois dias depois anulou o acordo comercial com a Ásia.

Dia 5

O muro I

Trump assina o decreto que dá o primeiro passo para a construção do muro entre Estados Unidos e México. O Presidente anunciou que a construção começaria “dentro de meses” e que seriam os mexicanos a pagá-lo ainda que esse pagamento pudesse acontecer recorrendo a “uma forma complicada”, que nunca explicou.

Dia 5

O muro II

E se até aqui o presidente mexicano ainda estava na disposição de fazer uma visita a Washington, rapidamente mudou de ideias, quando Trump afirmou que se ele não quisesse pagar o muro o melhor era não ir aos EUA. E assim fez Peña Nieto: a viagem foi cancelada.

Dia 7

‘Muslim ban’

E, ao sétimo dia, Trump decidiu proibir a entrada nos EUA a cidadãos oriundos de sete países de maioria muçulmana, mesmo que tivessem na sua posse todos os documentos válidos para passarem as fronteiras. Também ficou suspensa a entrada de refugiados no país por pelo menos 120 dias.

Dia 8

May visita Trump

Theresa May aterra em Washington, tornando-se assim na primeira líder europeia a cumprimentar Trump, já presidente, na Casa Branca. Com a chamada “Muslim Ban” assinada, a resposta de May foi considerada “fraca”. A primeira-ministra britânica seria depois mais firme a condenar a atitude de Trump.

Dia 8

Confusão nos aeroportos

Cidadãos retidos nos aeroportos, cidadãos que não embarcaram nos voos com destino aos Estados Unidos, pessoas à espera horas e horas sem nada saberem sobre os seus familiares, advogados que foram ajudar, manifestantes em protesto contra a “Muslim Ban”.

Dia 8

Hello? Vladimir?

Trump pegou no telefone e ligou a Putin. Segundo um comunicado do Kremlin, os dois líderes anunciaram a intenção de desenvolver relações “de igual para igual”, dando “prioridade” à luta contra o terrorismo e promovendo uma “coordenação real” contra o Estado Islâmico na Síria.

Dia 8

Merkel atende o telefone…

… e explica a Donald Trump a Convenção de Genebra. A chanceler alemã foi firme na condenação da Muslim Ban e um porta-voz anunciou que Merkel tinha recordado a Trump que os países signatários da Convenção de Genebra estavam obrigados a acolher refugiados de guerra.

Dia 9

Protestos continuam

Ninguém desarmou. Os aeroportos norte-americanos enchiam-se de cada vez mais gente a protestar contra a medida de Donald Trump. Advogados acorriam a ajudar as famílias dos cidadãos que não conseguiam entrar e cada saída (ou melhor, entrada) era festejada entusiasticamente.

Dias 10/11

Sally Yates despedida

A procuradora-geral interina dos Estados Unidos deu ordens aos procuradores do Departamento de Justiça para não defenderem nos tribunais a Muslim Ban. No dia seguinte, Trump despediu-a: “A senhora Yates era uma escolha da administração Obama que é fraca em matéria de fronteiras e muito fraca na imigração ilegal”.

Dia 10

Steve Bannon, o conselheiro

Stephen Bannon, o principal estratega da campanha de Trump, chega ao National Security Council (Conselho de Segurança Nacional), o principal fórum que aconselha o Presidente em matérias de segurança nacional e política externa. Bannon é conhecido pelas suas posições extremistas ligadas à chamada Alt-Right.

Dia 11

Nomeação para o Supremo

Em 11 dias, Trump teve aqui a sua decisão menos contestada, ao escolher Neil Gorsuch, 49 anos, para o Supremo Tribunal de Justiça. Um conservador, republicano, anti-aborto, anti-eutanásia. Mas juiz já criticou algumas atitudes do Presidente.

Dia 13

Hello, Australia?

O telefonema com o PM australiano já tinha uns dias, mas depois de Trump ter escrito no Twitter que o acordo de partilha de refugiados com Austrália era “idiota”, os australianos deram o acordo como “morto”. “Não quero receber essas pessoas. A Austrália quer mandar para cá os próximos bombistas de Boston” – Trump.

Dia 14

Ataque às regulações financeiras

Depois de um encontro com vários empresários na Casa Branca, Donald Trump voltou a pegar na caneta para assinar uma série de novas diretivas que vão permitir rever as atuais regulações financeiras, promulgadas durante o tempo de Barack Obama em resposta à crise de 2008.

Dia 15

Juiz trava Muslim Ban

Primeiro revés de Trump com a justiça: o juiz federal de Seattle ordenou a suspensão temporária, a nível nacional, da proibição de entrada de pessoas de sete países de maioria muçulmana. Trump atacou então o “suposto juíz” e escreveu que quando um país não pode decidir quem entra e sai então… “BIG TROUBLE”

Dia 15

A menina salva pelo juiz

A história de Fatemeh Rashad correu o mundo inteiro. Esta bebé iraniana de quatro meses estava retida no Dubai à espera de poder chegar aos EUA para que pudesse ser operada a uma mal-formação congénita no coração. O caso chegou ao congresso: “Esta é a Fatemeh, ela não é uma terrorista”. Fatemeh viajou.

Dia 16

Tribunal contra Trump

Segundo round, segunda derrota de Trump nos tribunais. Foi chumbado o recurso apresentado pelo Departamento de Justiça norte-americano para levantar a suspensão do bloqueio à entrada de cidadãos de sete países de maioria muçulmana nos EUA. Trump enfurece-se: “Se alguma coisa acontecer, culpem o juíz”.

Dia 20

Jeff Sessions na Justiça

Mais uma nomeação que dará que falar. Jeff Sessions, o principal inspirador da política anti-imigração de Trump, foi confirmado pelo senado dos EUA como secretário da Justiça. A confirmação foi obtida por 52 votos contra 47, com a quase totalidade dos democratas a votarem contra.

Dia 22

Arigato!

A visita de Shinzo Abe foi um verdadeiro passeio no campo de golfe. Foi Donald Trump que na sua conta de Twitter publicou uma fotografia em que aparece a cumprimentar o primeiro-ministro japonês nos greens, com a mensagem: “A passar um grande momento a receber o primeiro-ministro Shinzo Abe nos Estados Unidos.”

Dia 22

Imigrantes presos

A Autoridade de Controlo e Imigração e Fronteiras dos Estados Unidos prendeu mais de cem pessoas numa operação de identificação de imigrantes ilegais com registo criminal. A operação durou uma semana e segundo relatos de advogados, deixou as pessoas “em pânico”.

Dia 24

Trudeau visita Trump

O momento que marcou esta visita foi aquele segundo em que Trump estendeu a mão a Trudeau e ele olhou, parou e pensou, talvez, “será boa ideia”? O aperto de mão aconteceu, apesar da oposição forte de Trudeau ao Muslim Ban. O PM canadiano já tinha dito que acolheria todos os que não fossem aceites pelos EUA.

Dia 24

Flynn demite-se

Baixa de peso: o conselheiro para a Segurança Nacional dos EUA, Michael Flynn, renunciou ao cargo após informações de que teria enganado o vice-presidente, Mike Pence, e outros funcionários sobre os seus contactos com a Rússia. O FBI decidiu não avançar com uma acusação, mas a baixa deixou marcas.

Dia 25

O escândalo Conway

E se uma conselheira do Presidente, a falar na Casa Branca, apelasse à compra de produtos da marca de Ivanka Trump? Isso era… Kellyanne Conway. O episódio “passa claramente a linha, é inaceitável”, defendeu o republicano que lidera o comité de supervisão do Congresso norte-americano. Mas ficou tudo na mesma.

Dia 26

Israel na Casa Branca

Netanyahu e Trump. Iria o Presidente dos EUA deixar de apoiar a solução de dois Estados? Trump decidiu não decidir nada e até deixou Netanyahu um pouco… embaraçado. “São as partes que têm de negociar. E ambos os lados têm de fazer concessões. Sabe disso, não sabe?”, perguntou. “Falaremos disso”, respondeu Bibi.

Dia 27

“Herdei uma confusão”

Conferência de imprensa de Trump na Casa Branca. Além de ter dito que herdou “uma confusão, em casa e no estrangeiro”, Trump acabou a ser desmentido por um jornalista quando disse – erradamente – que tinha sido o Presidente eleito com mais votos populares. Fake!

Dia 29

México contra Trump

Milhares de mexicanos entrelaçaram os braços para formarem um “muro humano” na fronteira com os Estados Unidos, em protesto contra o plano do Presidente Donald Trump de construir uma barreira entre os dois países.

Dia 30

O ataque na Suécia

Nova gaffe de Trump. Na defesa da sua política anti-imigração, Trump diz: “Vejam o que aconteceu na noite passada na Suécia. A Suécia! Conseguem acreditar nisto?” Bom, na verdade não era possível acreditar porque não houve ataque nenhum. Na noite passada, na Suécia, houve o Festival da Canção…

Dia 34

Menos direitos para estudantes transexuais

Trump revoga uma norma introduzida por Barack Obama, que permitia que os alunos transexuais usassem casas de banho e balneários consoante o género com que se identificam. A Administração justificou a decisão com a ideia de que não deve ser o governo federal a decidir sobre questões da gestão das escolas.

Getty Images

Dia 37

“Não vou ao jantar de correspondentes. Felicidades a todos”

Depois de expulsar alguns dos media mais importantes dos EUA de uma conferência de imprensa, Trump anunciou que não iria participar no habitual jantar de correspondentes da Casa Branca. Desde 1981 (ano da tentativa de assassinato de Reagan) que um presidente não faltava a este jantar.

AFP/Getty Images

Dia 40

Novo capítulo na “grandiosidade americana”

O presidente Trump fala pela primeira vez aos congressistas, numa sessão conjunta com senadores e representantes. Momento solene de aclamação a Trump, que anuncia um novo capítulo na “grandiosidade americana”, sob forte aplauso das bancadas republicanas.

Getty Images

Dia 42

O procurador que se reuniu com os russos

Jeff Sessions é apanhado num escândalo de larga escala. Após garantir, sob juramento, não ter tido contactos com a Rússia antes das eleições, admitiu que se tinha reunido duas vezes com o embaixador russo durante o ano eleitoral. Como consequência, pede escusa das investigações à interferência russa nas eleições.

Getty Images

Dia 44

Escutas no micro-ondas?

Trump acusa Obama de ter colocado escutas na Trump Tower nos meses antes da eleição. Num conjunto de tweets acusatórios, Trump diz que Obama era “um tipo mau”. Kellyanne Conway vem mesmo sugerir que houvesse escutas no micro-ondas.

Getty Images

Dia 46

Muslim Ban volta à carga…

Trump assina o segundo ‘Muslim Ban’, que é na verdade uma versão aligeirada da primeira ordem executiva. A lista de países interditos reduz para seis (sai o Iraque), e a medida deixa de afetar os cidadãos portadores de green card. Mas nem por isso deixa de ser polémica.

AFP/Getty Images

Dia 48

…e volta a ser bloqueado

Não durou três dias a segunda versão do ‘travel ban’ até ser bloqueada por um juiz do Havai, poucas horas depois de entrar em vigor. Dias depois, Trump prometeu continuar a luta pelo ‘travel ban’ até ao Supremo, mas o juiz Derrick Watson garantiu que mantinha o bloqueio até se resolver o processo.

2015 Getty Images

Dia 52

Sprint final para acabar com o Obamacare

Adensa-se a discussão em torno do Obamacare. O secretário da Saúde defende o seu fim e a entrada em vigor de um novo plano. No dia seguinte, um departamento não-partidário do Congresso publica um relatório em que prevê consequências graves com o fim do plano. Poucos dias depois o Congresso irá votar a proposta.

Getty Images

Dia 57

Aperto de mão a Merkel? Não, obrigado

Trump encontra-se com Angela Merkel na Casa Branca para discutir questões como a cooperação na NATO. Mas o momento que marcou o encontro foi outro: quando Trump se recusou a cumprimentar a chanceler alemã no fim da reunião.

Getty Images

Dia 61

Ivanka oficialmente na Casa Branca

Mesmo sem um cargo específico, a filha de Trump recebe um gabinete, um telefone e acesso a informação confidencial do governo dos Estados Unidos. Nada que não acontecesse até aqui informalmente, mas agora é oficial.

ODD ANDERSEN/AFP/Getty Images

Dia 64

Ups… O Obamacare continua

Reviravolta na luta de Trump contra o Obamacare. Sem conseguir o apoio do próprio partido, Trump vê-se obrigado a retirar a proposta de anulação da política de saúde de Obama e não consegue avançar com o seu plano. Mas não desiste e garante que “o Obamacare vai acabar por explodir”.

JIM LO SCALZO/EPA

Dia 68

O fim da política ambiental de Obama

Rodeado de empresários da indústria do carvão, Trump reverte a política ambiental de Obama, que pretendia reduzir a utilização de energias poluentes. Com a Ordem Executiva da Independência Energética imposta por Trump, regressa-se às perfurações de petróleo e de gás, para ajudar a indústria.

AFP/Getty Images

Dia 73

“Se a China não resolver o problema da Coreia do Norte, resolvemos nós”

“Se a China não resolver o problema da Coreia do Norte, resolvemos nós”, disse Trump numa entrevista ao Financial Times. Ainda na ressaca da reunião com Angela Merkel, Trump diz que os jornalistas “não entendem” que os dois líderes se dão bem.

AFP/Getty Images

Dia 76

Bannon salta fora

Steve Bannon, antigo líder do portal de extrema-direita Breitbart News, sai do Conselho de Segurança Nacional. Despromoção? A Administração diz que não, que Bannon já tinha cumprido a sua missão naquele organismo.

MANDEL NGAN/AFP/Getty Images

Dia 77

Gorsuch confirmado

O Senado altera as regras de nomeação dos juizes para o Supremo. A maioria republicana aprovou uma alteração que acabou com a possibilidade de fillibuster (bloqueio) das nomeações, levando finalmente à confirmação de Neil Gorsuch, o juiz escolhido por Trump para ocupar a vaga que faltava no Supremo.

MICHAEL REYNOLDS/EPA

Dia 78

Mísseis contra a Síria à sobremesa

EUA lançam dezenas de mísseis Tomahawk contra a Síria, como resposta ao ataque químico atribuído ao regime de Bashar al-Assad. No momento do lançamento do míssil, Trump estava a jantar com o presidente da China, Xi Jinping, informando-o, durante a sobremesa, do ataque à Síria.

AFP/Getty Images

Dia 82

Coreia do Norte está “à procura de problemas”

Depois de a Coreia do Norte ter ameaçado os EUA com novos mísseis intercontinentais, Trump reagiu à ameaça: “Estão à procura de problemas”. E insistiu na ideia de que a ajuda da China para lidar com o problema seria “ótima”. “Senão, nós resolvemos o problema sem eles”, repetiu.

Getty Images

Dia 82

“Nem Hitler usou gás contra o seu povo como Assad”

“Penso que, quando falamos de gás sarin, ele [Hitler] não atacou o seu próprio povo com gás da maneira como Assad está a fazer”, afirmou o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, numa conferência de imprensa. Tentou redimir-se mas as explicações foram ainda piores. A comunidade judaica reagiu com muita crítica.

AFP/Getty Images

Dia 83

Rex Tillerson em Moscovo

O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, encontra-se com Putin à porta fechada, depois de uma audiência com o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov. A reunião não dá frutos nos assuntos cruciais: Síria, Ucrânia e influência russa nas eleições americanas.

AFP/Getty Images

Dia 86

A mãe de todas as bombas é lançada no Afeganistão

Donald Trump lança a “mãe de todas as bombas” sobre o Afeganistão, com o objetivo de destruir infraestruturas subterrâneas do Estado Islâmico. O balanço é contraditório: imagens do local mostram que os túneis permanecem maioritariamente intactos.

DoD via Getty Images

Dia 91

Trump com o Papa Francisco?

O anúncio foi feito pelo porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer. “Ficaríamos muito honrados ao ter uma audiência com sua Santidade”, disse Spicer, sublinhando que Trump vai tentar uma audiência com Francisco quando estiver na Europa, em maio. O Vaticano já se mostrou disponível.

Drew Angerer/Getty Images

Dia 97

Descida de impostos para as empresas

Trump anuncia a maior descida de impostos “da história” para as empresas. Com esta medida, a taxa de impostos sobre as empresas norte-americanas deverá descer de 35% para 15%.

Getty Images

Dia 99

“Há hipótese de grande, grande conflito com a Coreia do Norte”

“Existe a hipótese de podermos acabar por ter um grande, grande conflito com a Coreia do Norte. Completamente”, afirmou Trump em entrevista à agência Reuters, deixando antever que conta com a colaboração da China para lidar com a situação.

Getty Images

Dia 99

“Pensei que era mais fácil”

“Tenho mais trabalho que na minha vida passada. Pensei que era mais fácil”. A confissão é de Donald Trump numa entrevista à Reuters. Diz que pensava que a sua vida como empresário do ramo imobiliário e apresentador de um reality-show era mais exigente do que o cargo que agora ocupa. E tem saudades de conduzir.

Chip Somodevilla/Getty Images