Papas caseiras, taças de hummus e bowls coloridas. 10 novos restaurantes saudáveis no Porto /premium

01 Setembro 2019351

Lá vai o tempo em que comer no Porto era apenas sinónimo de tripas, francesinhas e muitas calorias. 2019 está a ser um ano farto em novidades saudáveis e fotogénicas. Conheça-as, sem culpa.

Que no Porto se come bem não é uma novidade, que as doses são generosas, também não, mas as opções tornaram-se cada vez mais saudáveis e equilibradas, sendo uma clara tendência ao virar da esquina. Os restaurantes ficaram mais verdes e luminosos, as travessas foram substituídas por bowls, o pão escureceu e os doces da casa perderam o açúcar, mas mantiveram o sabor. Os legumes e a fruta convivem agora harmoniosamente dentro do mesmo copo e ingredientes como o abacate, a quinoa ou a batata doce ganharam um lugar na nossa lista de compras. Sente-se à mesa destes dez restaurantes e dê uma oportunidade à comida que faz bem.

Camélia Brunch Garden

Rua do Passeio Alegre, 368, Foz. 22 617 0009. De terça a domingo, das 10h às 20h

Apesar de ser originária do Japão, a camélia é considerada a flor do Porto, tendo chegado à cidade em 1810, através de uma encomenda de Inglaterra. Cedo se espalhou pelos jardins públicos e em março é a protagonista de uma semana repleta de exposições e atividades. Pedro Vieira, um dos sócios do Camélia Brunch Garden, inspirou-se nesta flor para abrir o seu mais recente projeto, depois de ter inaugurado há 14 anos a Paparoca da Foz, uma padaria de culto na zona da Cantareira. Numa casa com vista para o Douro, cuja esplanada está a um passo da linha do elétrico, a intenção era fazer de um café um autêntico jardim. Dentro ou fora de portas, é possível provar os ovos benedict com molho holandês, salmão fumado e cebolinho em cima de uma fatia de pão de sementes, a tapioca com atum marinado, manga, quinoa, cebola roxa, coentros e lima ou a Deli Sanduiche, feita com pão doce de brioche, carne laminada, molho de mostarda, picles de pepino e geleia de cebola roxa. Se a gula atacar no fim da refeição, não se preocupe, pois há bolo de limão vegan, cheesecake de manteiga de amendoim e panquecas com massa de aveia ou banana. A Dutch Baby é uma panqueca especial cozinhada num tacho de ferro fundido, pela qual terá de esperar cerca de 20 minutos, mas vale a pena porque vem coberta com bolachas oreo trituradas, framboesas, caramelo e flores comestíveis. Além de chás, há café de especialidade arábico e cocktails de autor batizados com nomes de plantas.

Tataki de atum

Kind Kitchen

Rua do Bonjardim, 302, Porto. 22 113 0928. De terça a sexta, das 12h às 14h30 e das 19h às 22h; sábado, das 12h às 22h

Ana e Eva Egmond são irmãs, têm ascendência holandesa, mas foi em Portugal que nasceram e se tornaram, há um ano, veganas. “Foi uma opção ética, ambiental e saudável. Juntas quisemos para passar esta mensagem de ativismo e propagar o veganismo”, explica Eva ao Observador. No início deste verão nasceu o Kind Kitchen, um restaurante sem ingredientes de origem animal, mas que não vive só de saladas cheias de alface. O falafel com molho de iogurte, os nuggets de tofu, o hambúrguer de cogumelos e feijão ou a bowl Thai, com tofu, arroz basmati de coco, manga, cenoura, batata doce assada, coentros e molho de amendoim satay são alguns exemplos da carta que provam isso mesmo. Nas bebidas conte com chá biológico, cerveja artesanal, cidra vegan e uma espécie de coca-cola feita com ingredientes naturais. O restaurante tem um carimbo de sustentabilidade, por isso usa apenas garrafas de vidro, papel reciclado e sacos do lixo biodegradáveis. Enquanto espera pela comida olhe para o teto em forma de túnel e aprecie a pintura do Coletivo Rua.

Nuggets de tofu com molho barbecue

Casa da Tété

Rua Professora Rita Lopes Ribeiro Fonseca, 76. Vila Nova de Gaia. 91 406 4630. De segunda a sexta, das 12h30 às 14h30 e das 19h30 às 21h30; sábado das 12h30 às 14h30

Tânia Manso sempre gostou de se alimentar bem, procurar receitas e inovar nos pratos que fazia, pois cansava-se facilmente “do típico frango grelhado”. Apesar de não ser uma expert nos tachos, a paixão pelo que é mais saudável foi crescendo e há três meses deixou de ser consultora financeira para abrir um restaurante. Na Casa da Tété o almoço e o jantar têm direito a um menu diferente todos os dias, com sopa, entrada e um prato de peixe, carne ou vegetariano. As receitas são tradicionais portuguesas, mas têm pequenas alterações que as tornam low carb e mais nutritivas. O bacalhau com broa, couve-flor e espinafres, o caril de grão de bico com legumes, as almôndegas com molho de beterraba ou a lasanha de carne com fatias de beringela e courgette são alguns dos pratos mais requisitados. No universo das sobremesas não há farinhas refinadas nem açúcar, que aqui é substituído por tâmaras, mel ou agave. Tudo é feito dentro de portas, da tarte de caramelo salgado ao cheesecake com compota de frutos vermelhos com cereais, servido num copo para comer à colher.

Tarte de caramelo salgado

KUG

Rua D. Manuel II, 178, Porto. 22 600 0744. De segunda a domingo, das 12h às 20h

Kitchen & Urban Garden é o significado do nome deste restaurante ainda a funcionar em regime de soft opening, tendo agendada a abertura oficial para o final de setembro. O Kug ocupa o rés-do-chão do Oporto Loft, um hotel aberto há cinco anos próximo do Palácio de Cristal, fica longe da confusão e privilegia o contacto com a natureza. No jardim os animais são bem-vindos e há mantas, sofás, puffs, baloiços de madeira e almofadas. O bar serve sumos naturais e cocktails de autor, mas em breve haverá uma zona dedicada a vinhos nacionais, biológicos e de pequenos produtores. Para comer, espere pratos feitos à base de ingredientes sazonais, muitos deles plantados no próprio jardim, como abacates, ameixas, laranjas, limões e dióspiros. A tosta de cogumelos com chips de batata doce, a taça de açaí com fruta e cereais ou o hambúrguer em pão brioche com salmão e queijo ricota são algumas opções do menu de almoço, que pode saborear numa pérgola a ouvir os passarinhos. No futuro o Kug irá alargar o horário para receber jantares em duas salas, tendo sugestões para grupos igualmente saudáveis.

Taça de açaí com fruta e cereais

Do Norte Café by Hungry Bikes

Rua do Almada, 57-59, Porto. De segunda a domingo, das 9h às 16h

Só pela decoração deste espaço podemos quase adivinhar a nacionalidade dos proprietários. Quer tentar? As madeiras escuras do mobiliário, vindo de lojas de segunda mão ou até mesmo do lixo, a salamandra, as mantas, as pinhas, os ramos de eucalipto, os troncos de árvores suspensos no teto e os esquis do tempo da União Soviética na parede são elementos que compõem um café inspirado no norte da Europa e de Portugal. Maria Kulagiana e Alexey Mikhaylow trocaram a Rússia pelo Porto há dois anos e vieram em busca de mais tranquilidade. “Quando chegámos sentimos falta de encontrar pequenos almoços saudáveis, os que havia tinham sempre coisas muitos doces”, partilha Maria ao Observador. Inicialmente abriram o Hungry Biker, um café na Rua das Taipas onde também alugam bicicletas, mas o espaço pequeno e sempre concorrido fez com que se aventurassem num projeto mais ambicioso. Em fevereiro surgiu o Do Norte, especialista em comida equilibrada, de conforto e saciante, com direito a um pátio coberto e sossegado nas traseiras. Há dois brunches disponíveis todos os dias, tostas em pão sem glúten com salmão ou cenoura picante, taças de húmus e quinoa, papas caseiras de aveia e arroz, iogurtes naturais com fruta da época, mel, coco e sementes de chia e batidos “que são uma autêntica refeição”. A especialidade vai para um queijo russo assado no forno com frutas e caramelo.

Hummús

Club Life

Rua de Mouzinho da Silveira, 197, Porto. 22 208 0050. Café: de segunda a sábado, das 9h às 19h e domingo, das 9h às 17h. Restaurante: de segunda a sábado, das 12h às 15h30;19h às 22h30

O Club Life nasceu no Brasil há seis anos e começou por vender comida sem glúten, sem lactose, sem conservantes ou açúcares refinados em formato take away. Em 2018 a marca mudou o conceito, eliminou 90% do plástico, melhorou o design e apostou numa experiência gastronómica diferente, onde o cliente permanece no espaço para saborear cada prato. A nova etapa da cadeia chegou ao Porto em maio pelas mãos do casal Maria e Guilherme Puoli, vindos diretamente de S. Paulo. Privilegiando os ingredientes locais e biológicos, a carta tem uma base brasileira, mas foram feitas adaptações para agradar o paladar português. “Temos uma opção de bacalhau e de sopa todos os dias, por exemplo”, diz Maria Puoli ao Observador. No café, no piso de cima, pode experimentar bebidas como o supper green, com espinafres, ananás, leite de amêndoa, chia e limão, mas também açaís com granola e fruta da época, papas de aveia com maçã, canela, nozes e agave, tapiocas doces e salgadas e ainda uma versão das típicas coxinhas de frango com massa de babata doce. No piso térreo funciona o restaurante e tanto almoço como ao jantar há um menu com sugestões de peixe, carne, frango e vegetariano diferentes todos os dias.

Hambúrguer vegan com lentilhas, grão de bico, farinha de amêndoa, espinafres, cebola caramelizada e pasta de abacate

Garden Porto Café

Rua Fernandes Tomás, 989, Porto. 22 110 8540. De segunda a domingo, das 9h às 20h

Depois de trabalhar cinco anos na restauração em Londres, Alexandre Castro regressou ao Porto e na mala trazia um desejo: abrir o seu próprio negócio. No Garden inspirou-se no street food norte-americano e asiático e apostou em brunches compostos e em pratos como o camarão pipoca com maionese agridoce, os tacos vegetarianos, os ovos muffin com carne desfiada, molho barbecue, bacon crocante e molho bearnês, a waffle de frango com creme de queijo ricota, ovo escalfado e maple syrup de vinho do Porto ou a panqueca de abóbora com uma bola de gelado artesanal. A carta está disponível a qualquer hora do dia e o espaço é altamente instagramável, onde o chão a imitar a calçada portuguesa, as plantas suspensas, o mobiliário em madeira rústica, os candeeiros em palha ou a loiça colorida alegram a vista e garantem muitos likes. Os mimos na decoração não ficam por aqui, o artista urbano Mr. Dheo é o autor de dois trabalhos expostos no Garden, um deles com elementos bem típicos da cidade.

Waffle de frutos vermelhos

Slash – Natural Habits

Rua da Lionesa, loja C10, Leça do Balio. 22 110 7201. De segunda a sexta, das 10h às 19h

Se pensa que o conceito de comida rápida não combina com a comida saudável engana-se. No Slash a cozinha não tem ingredientes processados, açúcar ou plástico, mas os pratos aparecem na mesa num instante. A ideia surgiu durante os cinco anos que Mariana Van Zeller viveu com a família nos Estados Unidos da América. “Ao contrário do que possam pensar, lá conseguimos encontrar soluções ricas e equilibradas”, conta ao Observador. De regresso a Portugal, em 2018, Mariana pensou naqueles que almoçam uma fatia de pizza, um hambúrguer ou um folhado XXL em frente ao computador e idealizou um restaurante onde o cliente só precisaria de um garfo para comer. “Cortamos todos os ingredientes numa tábua e misturamos tudo com um molho caseiro, isto faz com que a pessoa não tenha de procurar o tomate ou o queijo numa salada e numa única garfada sinta todos os sabores.” A bowl homónima da casa, com quinoa, espinafres, frango marinado grelhado, cebola caramelizada, tomate cherry, queijo de cabra, sementes de abóbora e vinagrete, ou a nova criação Mariachi, inspirada no México, com arroz integral, guacamole, pico de gallo – uma mistura de tomate, cebola, salsa, coentros e sumo de limão – lentilhas e molho picante são duas das estrelas da casa. Há mais de 50 ingredientes frescos para fazer a sua própria salada, sopas, wraps e sobremesas sem adição açúcar, como o brownie com 60% de cacau e nozes ou a barra de granola feita dentro de portas.

Alface frisada, salmão braseado, ovo cozido, cuscuz, rebentos de feijão mungo, alcaparras, amêndoa laminada e vinagrete de citrinos

Nicolau

Largo Alberto Pimentel, 4, Porto. 22 208 2406. De segunda a domingo, das 9h às 21h

A pedido de várias famílias o Nicolau chegou finalmente ao Porto. Vinda diretamente da capital, esta casa é conhecida pelas receitas saudáveis, o ambiente descontraído e os pratos coloridos e altamente fotogénicos. O cão mascote que lhe dá o nome está presente na decoração, assim como as madeiras, as plantas, os apontamentos em azul turquesa e a luz natural que entra pelas janelas desta esquina na baixa. Na carta, cheias de opções para qualquer hora do dia, saltam à vista o arroz doce vegan feito com leite de coco e fruta, o caril vegan com grão e legumes, a salada de bulgur com salmão fumado, tomate, pepino, amêndoas torradas e molho de iogurte ou o o rosti de batata doce com abacate, bacon e ovo escalfado. Tacos, hambúrgueres, tapiocas, tostas e panquecas são outras alternativas. Nas bebidas reinam os sumos naturais, os smoothies, os cocktails e os cafés quentes e frios, sendo o flavored latte, com baunilha e caramelo salgado, uma das principais novidades.

Shakshuka: ovos escalfados em molho de tomate picante e vegetais

Viva Creative Kitchen

Largo São Domingos, 33, Porto. 22 208 2126. De terça a sexta, das 18h30 às 22h30; sábado e domingo, das 18h às 23h

Hans Portela é brasileiro, esteve três anos em Miami ao leme de um restaurante mexicano, mas em 2018 decidiu mudar-se para Portugal com a mulher, Nathalia, à procura de uma melhor qualidade de vida. Apesar de ter família em Viseu, foi no Porto que escolheu firmar raízes e inaugurar um negócio a quatro mãos. O espaço que encontrou no Largo S. Domingos é limitado no sistema de exaustão, o que obrigou Hans a usar toda a sua criatividade em pratos com ingredientes crus e influências asiáticas, mexicanas e brasileiras. Das entradas para partilhar fazem parte a burrata injetada com redução de vinho do Porto balsâmico, figos, lâminas de amêndoas e folhas, o camembert fondue trufado com mel e alho servido em pão de fermentação lenta natural ou os nachos com chilli e pico de gallo. Os pratos principais centram-se sobretudo nos tártaros de atum, salmão e beterraba, nas saladas e nas bowls, já as sobremesas ficam a cargo de Nathalia e podem variar entre o parfait de amendoim com geleia de frutos vermelhos ou o bolo de chocolate com laranja e crumble de bolacha.

Salada de pêra com gorgonzola, nozes e aioli de tomilho

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)