Ex-IRA: "A consciência pesada nunca desaparece"

, por João de Almeida Dias