A publicação começou a circular no Facebook a 5 de maio, na página “Luta Brasil” e já conta com mais de 17 mil visualizações e uma centena de partilhas. A mensagem é clara: a página que no seu perfil assume ser “contra a corrupção” acusa “Maju” (Maria Júlia Coutinho), repórter da Rede Globo, de ter defendido Lula da Silva numa entrevista que deu à “TV de Portugal”.

Segundo o post, a jornalista terá dito que atualmente o Brasil vivia “uma grande crise “ e que o país “era melhor” na época do ex-presidente brasileiro. Mas o post é falso — a tal entrevista à “TV de Portugal” nunca aconteceu.

A publicação que está a ser circular sobre Maria Júlia Coutinho e que é falsa

Para começar, a página não refere sequer a que canal televisivo a entrevista foi dada — se foi à RTP, SIC, TVI, CMTV, Porto Canal ou aos canais temáticos de cada uma destas estações, entre outros. Além disso, não diz em que programa a entrevista passou ou a hora, referindo apenas o “ontem” como referência temporal.

Tendo em conta que o post é de 15 de maio, então, a entrevista terá sido transmitida a 14, mas em todas as pesquisas feitas pelo Observador nos sites de todos estes canais para esse dia, o nome da pivô do Jornal Hoje não aparece em nenhum resultado. Nem no da RTP, nem no da SIC, nem no da TVI, nem no da CMTV, nem no do Porto Canal.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Observador fez as pesquisas usando o nome “Maria Júlia Coutinho” e o diminutivo “Maju” e o resultado foi sempre o mesmo: não foram encontradas referências à jornalista do telejornal da Globo que é transmitido ao início da tarde.

Depois de pesquisar nos sites dos diferentes canais de televisão em Portugal, o Observador pesquisou por entrevistas recentes da pivô no motor de busca do Google, nas quais falasse de Lula da Silva, mas também não teve sucesso. As únicas referências que surgem a uma eventual entrevista da apresentadora à “TV de Portugal” são os artigos escritos para desmentir o post. A própria Globo desmente que a jornalista tenha feito tal entrevista:

“Circula nas redes sociais uma mensagem que diz que a apresentadora do Jornal Hoje, Maria Júlia Coutinho, deu uma entrevista recente a uma TV de Portugal dizendo que existe uma grande crise no Brasil e que se for necessário trabalha até de graça para ver a queda do presidente Jair Bolsonaro. É #FAKE”, lê-se no artigo publicado no G1, site que pertence à Rede Globo.

E acrescenta: “A apresentadora do Jornal Hoje nunca deu entrevista à imprensa portuguesa, muito menos falando sobre Bolsonaro e Lula. Também não deu entrevista recente a qualquer outro veículo de comunicação. Basta uma busca rápida na internet para ver que não há registros da propalada entrevista. Tal declaração também não foi feita publicamente tampouco em suas redes sociais”.

No Twitter de Maria Júlia Coutinho, não consta nenhuma publicação recente sobre uma eventual entrevista à televisão portuguesa ou sobre Lula da Silva. Pelo contrário, a 18 de maio, a apresentadora usou a mesma rede social para partilhar o fact-check do G1, divulgado na página oficial “fatooufake”, bem como outros artigos que desmentiam a publicação do Facebook.

“Maju” Coutinho é apresentadora do Jornal Hoje desde 30 de setembro de 2019 e esta não é a primeira vez que é alvo de notícias falsas. Segundo o G1, já em março a apresentadora tinha visto fotografias suas antigas (com cerca de um ano), na praia, a serem usadas como se fossem recentes e a apresentadora se encontrasse a desrespeitar a recomendação de isolamento social.

Conclusão

É falso que Maria Júlia Coutinho, pivô do telejornal Jornal Hoje, transmitido pelo canal Globo, tenha dado uma entrevista à “TV de Portugal” na qual defendeu Lula da Silva, ex-presidente brasileiro. Primeiro, a publicação nem sequer especifica em que programa e canal a entrevista foi feita. Segundo, a Globo desmentiu que a jornalista tenha dado semelhante entrevista e a própria partilhou os desmentidos na sua conta de Twitter. Terceiro, não foi possível encontrar nenhuma referência à tal suposta entrevista em nenhum dos sites das televisões portuguesas — visto que o post não especifica qual foi o canal –, nem nas pesquisas que foram feitas na internet. Não é a primeira vez que a pivô é alvo de publicações falsas. Esta é apenas mais uma.

Assim, segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

Errado

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge