Atento ao espírito do tempo, preocupado com as ideias perigosas que aleijam, julgo que é chegada a hora de modernizar a Bíblia e expurgá-la das vários trechos problemáticos que contém. Que não são poucos. Logo a abrir, por exemplo, temos uma demonstração implícita de racismo. Para apaziguar quem se possa sentir ofendido, sugiro que os primeiros versículos do Antigo Testamento passem a ser:

“No princípio, quando Deus criou os céus e a terra, a terra era informe e vazia, as trevas cobriam o abismo e o espírito de Deus movia-se sobre a superfície das águas. Deus disse: “Faça-se a luz”. E a luz foi feita. Deus viu que a luz era boa e separou a luz das trevas. Logo a seguir, apagou-a, pois entretanto chegou a conta e viu que também era cara”.

E assim descolonizamos o Génesis da perniciosa ideia supremacista ocidental de que a electricidade pode ser um bem acessível a qualquer um. Não pode. Fiat lux é um luxo.

Quem lê as notícias já percebeu que as previsões catastróficas dos profetas do clima estão cada vez mais perto de se realizar. Eles vaticinam um futuro negro e, com o aumento do preço da luz, aproxima-se mesmo a escuridão. Pelo menos a partir do dia 10 de cada mês, que é quando os Portugueses já gastaram o dinheiro guardado para a conta da EDP.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.