Não, não vou falar das maratonas que atravessam a pé as pontes deste país.

Não, não vou falar das pessoas que por fé ou convicção fazem os caminhos de Santiago ou se deslocam a Fátima procurando pontes consigo próprias.

E não, não vou falar de futebol!

Vou falar dos milagres que a Transportadora Aérea Nacional, magnificamente gerida com a cabeça em Lisboa e o coração no Brasil, tem feito pelo Porto – basicamente, tratando-o a pontapé.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.