O Projecto de Resolução nr.690/XIV/2, apresentado pelo partido Iniciativa liberal, que pretendia aprovar a existência de um portal online de transparência e monitorização do processo dos fundos europeus, foi espantosamente chumbado.

O Partido Socialista votou contra, o Bloco, o PCP e PEV nem contra, nem a favor – deram o seu “voto” à abstenção.

Que o PS tenha votado contra, não é de espantar. Porque se há coisa que no Largo do Rato não se gosta, nem se tolera, é a transparência. E quando o assunto é dinheiro, muito menos.

O que não se consegue entender é a abstenção do Bloco e do PCP. Do PEV (muleta política do PCP) não vale a pena perder tempo nem linhas.

Vejam bem como isto anda. Estes dois partidos, que apregoam aos setes ventos a moralidade, a transparência na vida política e na gestão dos dinheiros públicos, tiveram agora uma oportunidade de ouro para mostrar aos Portugueses que realmente se preocupam com o assunto, até porque ele é merecedor da nossa atenção.

Mas quando chegou a hora da verdade, ei-los a virar o “ bico o prego” por uma única razão: a proposta vem da direita liberal. Ponto. Se vem dali, à partida é para recusar. Mas nesta proposta em concreto, não se recusa descaradamente porque pode parecer mal, mas também não se apoia.

Ora é disto mesmo que se trata.

Quando estes dois partidos enchem a sua “boca” de moralidade e transparência na vida e nos dinheiros públicos, quando são chamados a votar algo concreto e que a todos nos podia deixar mais descansados quanto à matéria dos fundos europeus, o que é que fazem? Com uma agravante. Todos sabem o quanto os Portugueses já estão queimados com histórias de fundos e análogos, até porque a conta, no fim, calha sempre aos mesmos e não é por acaso que cerca de 60% dos Portugueses acham (com alguma razão) que os fundos europeus vão ser mal geridos.

Com estes dados na mão, o que diz o Bloco e o PCP?

Pois bem, não dizem nada. Não votam contra, porque pode parecer mal, mas também não votam a favor porque é uma proposta da direita liberal. Não é por ser uma má proposta, é por ser uma proposta vinda da direita.

É este preconceito ideológico de décadas que vai matando aos poucos a evolução do nosso país.

Isto não é representar os Portugueses porque todos, todos nós, gostaríamos de ver como vão ser aplicados e de que maneira vão ser usados os fundos europeus. E o Bloco e o PCP sabem disto. O voto destes dois partidos envergonhou-me e estou certo que envergonhou muitos outros Portugueses como eu. Até é possível que tenha envergonhado os seus próprios eleitores.

Muito gostaria de saber o que os militantes do Bloco e do PCP pensam disto.

O Parlamento ganharia mais crédito perante todos nós se contribuísse para o que for realmente bom para combater uma possível corrupção, o que for realmente bom em nome da transparência pública, venha lá de onde vier uma proposta razoável, como esta, da Iniciativa Liberal.

Perdemos todos por razões de táctica política e ideológica e, enquanto isso, Portugal vai perdendo e nós pagamos.

A consideração que hoje o Bloco e o PCP merecem, é agradecer-lhes por NÃO contribuírem para o caminho de um país mais transparente.

Assim não, meus senhores, assim não.