Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Não podemos dizer que não fomos alertados. A 4 de Outubro de 2015, acabado de votar nas eleições legislativas, António Costa disse aos jornalistas: “É como quando era estudante, o exame está feito, resta aguardar pelo resultado”. Nessa mesma noite, após perceber que tinha chumbado, perdendo para Passos Coelho, Costa avisou que ia formar Governo à mesma. Mostrou aí o quanto se estava a borrifar para o resultado de exames. Foi o início.

A 27 de Novembro, um dia depois da tomada de posse desse Governo, a maioria parlamentar de esquerda votou a favor às propostas do BE e do PCP e acabou com os exames nacionais no 4º Ano, contra o conselho da Sociedade Portuguesa de Matemática. Simbolicamente, a primeira medida de Educação de António Costa foi tomada pela extrema-esquerda.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.