1. Na Europa, pela Europa fora, os imigrantes ilegais são culpados.

Em Itália, na Itália das pedras velhas e das pizzas, 500 mil imigrantes ilegais são visados pelo programa do governo que não o chegou a ser, projecto de repatriamento prioritário.

No Reino Unido, a Albion radiosa de Meghan, a ameaça dos imigrantes e afins levou ao brexit.

Na Hungria, na Polónia e nos Balcãs culpam-se os estrangeiros, imigrantes e refugiados de todos os males, como pestíferos a expulsar; contra eles, crescem muros como cogumelos.

Em França, um imigrante maliano ilegal, sem papéis, salvou uma criança de cair para a morte, ao escalar quatro andares sem hesitar, com risco de vida. Foi recebido por Macron, foi-lhe outorgada uma medalha por bravura, prometida a legalização e um emprego nos bombeiros.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.