Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Passado um ano, podemos dizer que já passou a fase infantilóide de reacção à chegada do vírus SARS-CoV-2 que mudou as nossas vidas. A célebre frase que animou alguns e irritou outros durante o primeiro confinamento veio a revelar-se uma frase tão irreal como os contos infantis que só servem para entreter crianças.

Não, não ficou tudo bem, ficou até tudo muito mal. Um ano depois, temos mais milhares de desempregados, uma economia em agonia e a expectativa de que tudo possa ainda piorar quando acabarem os layoffs e as moratórias.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.