Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

1 Na semana em que começamos pela segunda vez a desconfinar, Portugal começa também a ter que olhar para o problema gigante que tem para resolver. Crise económica. Atrasos irremediáveis na educação, sobretudo dos mais novos. Problemas de saúde mental ainda mais inflacionados numa sociedade que já sofria desta pandemia antes da Covid-19 e que tem escassas armas para combater. Um país em que os atrasos estruturais, a burocracia e a falta de transparência na tomada de decisão nos coloca cada vez mais próximos do último lugar na Europa dos 27.

O desafio é “colossal”, para usar uma palavra que deu que falar numa crise em que as palavras usadas não foram, talvez, as mais fofinhas. Mas pelas ações chegámos lá. Mandámos a troika embora antes do tempo e ainda deixámos, na altura, o país preparado para poder fazer alguma coisa diferente no regresso à normalidade.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.