Pais e Filhos

O lado feminino dos homens /premium

Autor
107

Pergunto-me o que é que aconteceria se nós chamássemos ao "lado de leoa" duma mãe, por exemplo, "o lado masculino" de uma mulher. Tenho medo que, de dedo em riste, alguém achasse sexista…

Reconheço que me incomoda que se fale do “lado feminino” dos homens. Porque, muitas vezes, isso vem acompanhado com alguma condescendência que faz de alguns homens… “uns queridos”. Como se tanta docilidade fizesse deles “pouco homens”. E porque quase dá a entender que aquilo que os homens têm de mais bonito é qualquer coisa que contraria o seu ADN (como é insuportável esta ideia biológica de destino tão em voga!). Isto é, como se a grande qualidade que os distinga fosse… feminina. E nada mais.

Ora, se isso quer dizer que há “homens sensíveis”, eu gosto do “lado feminino” dos homens. E se esse “lado feminino” corresponde ao jeito bondoso e cuidador de alguns homens, eu gosto dele. E se, para mais, ele vier acompanhado dum lado bem educado, eu gosto do “lado feminino” dos homens! Mas, desculpem, estranho que a única coisa que os homens tenham de bonito seja um “lado… feminino”. Que parece não ser um “equipamento de série” de todos os homens. E, desculpem, é! Pode ter sido muito reprimido, porque a educação do homem é, também ela, sexista. E foi. Pode ter levado a que muitos rapazes se tivessem sentido na obrigação de censurar as lágrimas e a tristeza, como se isso os tornasse menos “machos”. E levou. E pode ter empurrado muitos homens para a convicção que ser forte é “amarrar-se” aquilo que se sente. E também aconteceu. Mas, “o lado feminino dos homens” é – só! – o “lado masculino” de amar e de cuidar. Sem “lápis azul” e sem censura. Mais nada do que isso.

Às vezes, com uma ironia discutível, os próprios homens não ajudam, quando se trata de falar daquilo que sentem. E, em linguagem de balneário, a propósito da forma como se entregam (com fé de guerreiros) a tudo o que acreditam, falam de como é bom terem alguma “estupidez natural”. Que é um gosto muito pouco mastigado de irem atrás duma convicção, batalharem por ela e rejubilarem de felicidade quando a conquistam.

Os homens têm muito mais graça quando ligam um “lado feminino” com a tal “estupidez natural”. É só uma opinião, mas bem vistas as coisas, eu acho que é lisonjeante quando os homens se referem à garra como alguma “estupidez natural”. Mas pergunto-me o que é que aconteceria se ao “lado de leoa” duma mãe, por exemplo, nós o chamássemos de “o lado masculino” de uma mulher. Tenho medo que, de dedo em riste, alguém achasse sexista…

Por isso mesmo – pais deste país – eduquem os rapazes sem “lápis azul”, ok? Deixem-nos ter um “lado masculino” de amar. E condescendam com alguma “estupidez natural” que possam ter. O futuro agradece!

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Pais e Filhos

Deixem a adolescência em paz! /premium

Eduardo Sá
13.670

Dêem-lhes tempo para ser adolescentes! Deixem-nos errar. Deixem-nos querer mudar o mundo. Deixem-nos ter sonhos. Deixem-nos pôr os pais em causa. Mas não deixem (nunca!) de ser pais. 

Pais e Filhos

Querido pai /premium

Eduardo Sá
172

O que não faz sentido, neste momento em que a “versão autoritária” do pai e a “versão submissa” da mãe estão em grande mudança, é que um e outro se “rendam” a um novo (pequeno) chefe de família

Amor

O último tabu: que não se adie o amor! /premium

Eduardo Sá
843

Ao contrário do que parece, primeiro não nasce a paixão; e, só depois, o amor. A paixão não é a porta de entrada do amor. A paixão é o lugar mais longínquo a que se chega com o amor!

Pais e Filhos

Deixem a adolescência em paz! /premium

Eduardo Sá
13.670

Dêem-lhes tempo para ser adolescentes! Deixem-nos errar. Deixem-nos querer mudar o mundo. Deixem-nos ter sonhos. Deixem-nos pôr os pais em causa. Mas não deixem (nunca!) de ser pais. 

Pais e Filhos

Querido pai /premium

Eduardo Sá
172

O que não faz sentido, neste momento em que a “versão autoritária” do pai e a “versão submissa” da mãe estão em grande mudança, é que um e outro se “rendam” a um novo (pequeno) chefe de família

Pais e Filhos

Facilitar a vida às mães /premium

Maria João Marques
173

No primeiro filho uma proporção semelhante de pais e mães teve um acréscimo de felicidade. Depois do segundo filho os pais tiveram igualmente um acréscimo de felicidade, mas muito menos mães o tiveram

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)