Com imensa tristeza e consternação, todos recebemos a trágica notícia do falecimento do nosso querido Dr. Francisco Sampaio. Partiu um Homem bom e sábio. Quem privou de perto com o Dr. Sampaio ficou sempre mais rico. Partiu um pedagogo, um sábio, um poeta, um Homem dos nossos tempos, partiu o “Sr. Turismo”!

Recentemente foi homenageado pelo Turismo Porto e Norte e pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, que teve lugar no Castelo de Santiago da Barra, passando-se a chamar “Centro de Congressos Francisco Sampaio”. Nesta impar homenagem foi repassada a história e o brilhante curriculum do Dr. Francisco Sampaio e os contributos que deu. Certo que face ao carisma e dimensão deste ilustre cidadão homenageado, muito ficou por dizer.

Falar do Dr. Francisco Sampaio é falar com carinho e com prazer de um Homem Social, do Professor e do Pedagogo, do Mestre, de um Homem com H grande, culto e multifacetado. Senhor de um encanto único que nos ensinava a sonhar, desses sonhos construía a realidade e depois nos ajudava a concretizar essa realidade sonhada! Falar/escrever sobre o Dr. Francisco Sampaio, com a facilidade com que nos orgulha, torna-se difícil, face às múltiplas qualidades e inteligência que tinha e à dimensão do seu pensamento correndo-se o risco de não dizer tudo e, dizendo-se, é-se incapaz de “retratar” o Homem que cultivava a simpatia de todos. O Dr. Sampaio era único, entusiasta, diplomata, atento, estudioso e autor. Fala-se do Homem que deu muito de si e de forma abnegada, enobrecendo a cultura e os bombeiros, a causa social, a etnografia, o folclore e os seus trajes, a gastronomia, mas foi no turismo que deu e deixou a sua maior marca indelével, nas suas diferenças, vectores, linhas de força e virtudes, muitas vezes sendo visionário e fora do seu tempo, porque era um pensador proeminente.

O Dr. Sampaio pegou no diamante turismo, em tosco e em bruto e foi lapidando-o, transformando-o na mais nobre, brilhante, fina e única peça de joalharia.

À frente do Turismo e como presidente da Região de Turismo Alto-Minho, levou a todas as latitudes do mundo a beleza dos trajes, do folclore e da gastronomia desta região. Deu a conhecer, “projectou” e defendeu os “Caminhos de Santiago” como oferta turística major. Reescreveu várias vezes por onde passou, o nome e a representação desta terra do Norte de Portugal, com letras a ouro e platina. Pensou, promoveu e defendeu o “Românico da Ribeira Minho”, entre tantos outros projectos. Infelizmente, após a sua jubilação o turismo do Alto-Minho perdeu pujança e tornou-se mais pálido. Hoje perdeu o seu maior representante e defensor.

O Dr. Sampaio foi o grande Mestre dos Cortejos das Festas. Emoldurou com ouro as romarias da Srª. D’Agonia e as Festas da Srª. da Bonança. Como disse o Sr. Presidente da Câmara de Viana do Castelo, Eng. José Maria Costa, cada guião do cortejo e procissão das festas da Srª. D’agonia, era uma aula de história. Durante 40 anos deu corpo, luz e dedicação a estas organizações, conhecendo ao pormenor a razão de cada peça de ouro e da cor dos fatos à lavradeira das Mordomas. Soube separar e unir o turismo e a cultura em torno do religioso e do profano. Deu brilho às realizações nas aldeias, vilas e cidades. Todo o seu glamour era traduzido nas simples palavras de sabedoria das imensas entrevistas e comentários que fazia na televisão ou na rádio.

Com o Turismo e a política, soube merecer o respeito em Portugal e além-fronteiras, e soube estreitar as relações muito afectuosas entre Portugal e Espanha, particularmente, entre o Minho, Norte de Portugal e a Galiza, onde também foi homenageado. Ao tentarmos escrever sobre o Dr. Francisco Sampaio, mostra-nos o quanto somos “pequenos” perante a dimensão, o estatuto, a inteligência, o estudioso, o diplomata e o conhecimento que nele encerra, este ilustre e grande amigo das suas gentes e da sua terra. Um Homem que não descriminava nem pobres nem ricos e que tocava ao mais insensível! Simplesmente aglutinava! Um Homem que amou a sua terra e as suas gentes!

Apesar de ser um Homem que muito amava a sua família, esta tantas vezes se viu privada do seu convívio e presença, porque todos queriam e desejavam a presença do Dr. Sampaio, e ele, Homem do Mundo, era incapaz de dizer não! Sem férias, sem folgas e prejudicando os seus na ausência por devoção ao Turismo, repartia-se pelo mundo mais local ou mais distante, levando sempre a família no coração.

Fiquei mais pobre neste último dia de 2021, porque partiu um amigo, o pai dos meus amigos, e porque levou com ele tanta sabedoria que nós não soubemos aprender e colher a tempo, mas mesmo assim o admirávamos e respeitávamos, por ser um diplomata. Obrigado por tudo, Dr. Francisco Sampaio! Resta-nos a memória, o legado e as marcas que deixou em cada um de nós. Não o esquecemos Dr. Sampaio, nem a si, nem à sua frase sempre amiga “… olá menino…”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR