O nosso dia a dia é cada vez mais passado na internet. É em rede que consumimos informação e que socializamos. A qualquer hora, em qualquer lugar e em qualquer dispositivo, estamos sempre on, sempre disponíveis. E é também na internet que fazemos cada vez mais as nossas compras. E tudo à distância de um clique. Fazemo-lo de forma intuitiva, através de soluções que queremos que sejam seguras, mas também cada vez mais acessíveis e que tenham incorporadas soluções de pagamento que facilitem o processo de compra, e que o tornem cada vez mais invisível e instantâneo.

Os consumidores já fazem as suas compras utilizando métodos eletrónicos, como o cartão ou o smartphone. E no futuro, acredito, este processo de pagamento será ainda mais fácil e cómodo tirando partido das novas tecnologias como IoT, conectividade 5G e Inteligência Artificial. Novas soluções e serviços continuam a surgir todos os dias para servir este propósito.

No entanto, e apesar desta tendência de digitalização crescente, há uma franja da sociedade ainda completamente à margem da adoção do digital. São ainda cerca de dois milhões os portugueses que nunca utilizaram a internet, uma realidade ainda mais expressiva fora dos grandes centros urbanos e nas faixas etárias acima dos 45 anos. E dos 75% que acedem regularmente à internet, menos de metade realiza compras online.

Por outro lado, apenas 37% das empresas nacionais têm presença online, sendo que destas apenas 45% aderiram ao comércio eletrónico. Ou seja, dos dois lados do mercado, empresas e consumidores, há ainda uma margem de crescimento muito expressiva, que só com mais literacia financeira e soluções simples poderá ser aproveitada.

Neste sentido, para além da necessidade de criação de ferramentas que facilitem a economia digital, é essencial que sejam criadas e desenvolvidas competências de utilização junto das populações com níveis de literacia digital mais baixos. Programas como o MUDA – Movimento pela Utilização Digital Ativa, do qual a SIBS faz parte com o serviço MB WAY e outras soluções inovadoras de pagamentos, em conjunto com outras entidades nacionais, assumem um papel fundamental na promoção da economia digital, impulsionando a digitalização e o e-commerce.

Para esta franja de portugueses que ainda não aderiu às soluções de pagamento eletrónicas e digitais, é preciso trabalhar para promover a sua inclusão, fazê-los crer que são métodos que simplificam o seu dia-a-dia, com toda a comodidade e segurança, à semelhança do que acontece quando utilizam o Multibanco.

Esta nova realidade digital do dinheiro e a necessidade de soluções de pagamento de base tecnológica deve ser encarada como uma oportunidade tanto para consumidores, comerciantes, entidades financeiras e empresas de serviços financeiros. Apenas em conjunto se pode construir um caminho sólido para se chegar mais longe, incentivando as empresas, por um lado, a oferecer jornadas de compra mais modernas, o que poderá estimular, por outro, os consumidores menos digitais a optarem cada vez mais por pagamentos eletrónicos, facilitando a sua experiência de compra e permitindo aumentar a conversão de compras dos comerciantes.

Gonçalo Amaro é diretor de Digital & e-Commerce da SIBS