Resolução do BES pode custar 633 milhões ao Estado

A última alteração às condições do empréstimo ao Fundo de Resolução, que os bancos são responsáveis por pagar, pode vir a custar ao Estado mais de 600 milhões de euros, diz a UTAO.

Por Nuno André Martins