Cruze um baloiço elástico com uma passadeira virtual e uns óculos 3D e obtém um brinquedo topo de gama para adultos. Chama-se Virtualizer e é um projeto da Cyberith, uma empresa austríaca formada no ano passado que promete revolucionar a experiência dos jogos de consola e computador. O conceito é simples: integrar na realidade virtual a precisão dos movimentos do corpo com sensores de pressão, de modo a tornar a experiência imersiva.

O Virtualizer é um joystick de corpo inteiro. Ao contrário do popular sistema Wii da Nintendo, que usa um terminal que comunica com a consola de modo a determinar a posição relativa do jogador, o Virtualizer exige a ligação física da cintura e das pernas. Com umas meias especiais calçadas, o jogador será capaz de se “movimentar” em todas as direções, bastando para isso fazer deslizar os pés. O sistema também lhe devolve sensações, através de vibrações que lhe permitem sentir no corpo o “ambiente” do jogo, como as ondas de choque de uma explosão, por exemplo.

Virtualizer

 

A Cyberith garante que o Virtualizer terá outras aplicações além dos jogos virtuais. A imersão em espaços digitais pode ter implicações importantes em áreas como a arquitetura (imagine entrar numa casa antes dela existir) ou a psicologia (por indução de estímulos específicos). E talvez essa variedade, que está para além daquilo que podemos hoje imaginar, seja fundamentada na conceção de uma interface que transporta o utilizador do abstrato para o “real”. Para o desenho deste projeto foram recrutados físicos, engenheiros de materiais, programadores e… um filósofo.

A Cyberith está a recolher fundos na Kickstarter e espera conseguir comercializar este produto já no próximo ano. A avaliar pela adesão na plataforma de angariação de fundos, o sucesso está garantido: em poucos dias já reuniram a quase totalidade dos 250 mil dólares pedidos.