Uma academia de arte de Hangzhou, na costa leste da China, vai construir um museu desenhado pelo arquiteto português Álvaro Siza Vieira, em parceria com o atelier de Carlos Castanheira, disse esta segunda-feira à Lusa fonte ligada ao projeto.

“O projeto está concluído e as obras já começaram”, confirmou Siza Vieira à agência Lusa, explicando que o futuro museu terá uma área semelhante ao de Serralves, no Porto.

Esta será a segunda obra de Siza Vieira e Castanheira na China, depois do edifício de escritórios de uma fábrica de produtos químicos de HuaiAn, na província de Jiangsu, que vai ser inaugurada no próximo sábado com a presença dos dois arquitetos portugueses.

O futuro museu, que deverá estar concluído em 2016, tem cerca de 15.000 metros quadrados, “uma área sensivelmente igual à de Serralves”, adiantou Siza Vieira.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Trata-se de uma encomenda da China Art Academy de Hangzhou, cuja escola de arquitetura é dirigida por Wang Shu, o único arquiteto chinês galardoado com o Pritzker Prize, em 2012.

“Temos contado com o apoio da equipa de Wang Sho”, salientou Carlos Castanheira.

Hangzhou é a capital da província de Zhejiang, uma das mais prósperas da China, pouco maior do que Portugal e cerca de 55 milhões de habitantes. O museu desenhado por Siza Vieira irá acolher nomeadamente “uma grande coleção” de peças da famosa escola alemã de arte Bauhaus, fundada em 1919 pelo arquiteto Walter Gropius.

O Pritzker Prize, considerado o Nobel da Arquitetura, já foi também atribuído a Siza Vieira, em 1992, e a Eduardo Souto Moura, em 2011, e aos brasileiros Óscar Niemeyer e Paulo Mendes da Rocha, em 1988 e 2006, respetivamente. Entre os outros arquitetos já distinguidos com o Pritzker Prize figuram I.M.Pei, Frank Gehry, Renzo Piano, Rem Koolhaas, Norman Foster e Tadao Ando.