Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Vamos encerrar por aqui este artigo liveblog, que seguiu ao minuto a crise no Afeganistão e o dia em que um ataque terrorista perto do aeroporto de Cabul fez pelo menos 85 vítimas mortais, incluindo 13 soldados norte-americanos.

    Continue a seguir as últimas notícias no país nesta nova ligação.

    Avião com quatro militares portugueses e 24 afegãos já aterrou. “Portugal sai de cabeça erguida” da missão no Afeganistão, destaca Marcelo

    Muito obrigado por nos acompanhar.

  • Trump condena "ataque selvagem" em Cabul: "Esta tragédia nunca deveria ter acontecido"

    O antigo presidente dos EUA emitiu esta quinta-feira um comunicado a enviar as suas “mais profundas condolências”, bem como as de Melania Trump, aos “brilhantes militares cujo dever para com os EUA significava muito para eles” e que morreram em Cabul.

    “Os nossos pensamentos também estão com as famílias dos civis inocentes que morreram hoje no ataque selvagem a Cabul“, disse, acrescentando: “Esta tragédia nunca deveria ter acontecido, o que torna a nossa dor ainda mais profunda e mais difícil de entender. Que Deus abençoe os EUA”.

  • Bandeiras a meia haste no Capitólio dos EUA

    Nancy Pelosi, Presidente da Câmara dos Representantes, ordenou que as bandeiras do Capitólio dos Estados Unidos, em Washington, fossem colocadas a meia haste “em homenagem aos militares americanos e outros” mortos no ataque.

  • Número de mortos sobe para 90, adianta autoridade de saúde afegã

    Um alto funcionário afegão ligado à saúde adiantou ao The Wall Street Journal que o número de mortos subiu para 90 e o número de feridos é agora e 150.

  • Maior número de vítimas mortais das tropas dos EUA em mais de uma década

    Hoje foi o dia com mais mortes para as tropas americanas no Afeganistão desde o dia 6 de agosto de 2011. Os ataques causaram as primeiras mortes de militares desde fevereiro de 2020, reporta o Wall Street Journal.

  • ISIS revelou fotografia de bombista suicida: esteve a cinco metros dos militares antes de se fazer explodir

    O comunicado que o autoproclamado Estado Islâmico divulgou a reivindicar o ataque em Cabul incluía uma fotografia de um homem que o ISIS diz ser o bombista suicida que levou a cabo a primeira explosão Segundo a Sky News, a fotografia mostrava o homem a usar um cinto de explosivos em redor da bandeira preta do ISIS.

    O comunicado adiantava que o homem conseguiu passar pelo controlo de segurança dos talibãs no aeroporto, chegando a ficar a cinco metros de soldados, intérpretes e colaboradores dos EUA antes de se fazer explodir.

    No entanto, o comunicado não mencionava o segundo bombista suicida — que os Estados Unidos confirmaram ter sido o responsável pela segunda explosão — nem dos membros do Estado Islâmico que dispararam contra militares e civis.

  • Sobe para 13 o número de militares norte-americanos mortos

    Morreu mais um militar norte-americano, fazendo subir para 13 o número de militares mortos nas explosões em Cabul, segundo avança a agência Reuters.

  • Biden mantém decisão de retirar tropas norte-americanas

    A decisão de retirar tropas norte-americanas de Cabeul até 31 de agosto mantém-se, segundo adiantou o presidente dos EUA em conferência de imprensa.

  • Presidente dos EUA diz que não há indícios de conluio entre os talibãs e o ISIS

    O presidente dos EUA diz que “não há indícios” de conluio entre os talibãs e o ISIS, “até agora”.

  • Biden admite enviar mais militares para o Afeganistão, se for preciso

    Questionado sobre poderão ser enviadas mais tropas para proteger a área do aeroporto de Cabul, Biden disse que, quando se trata dos seus militares, concede “tudo o que eles precisarem”. “Se precisarem de força adicional, eu concederei“, disse acrescentando que as autoridades têm alguns motivos para acreditar que sabem quem são os autores do ataque e que vai encontrar forma de “os apanhar onde quer que eles estejam”.

  • Biden faz um momento de silêncio pelos militares norte-americanos e civis que morreram

    O presidente Biden parou o seu discurso para fazer um momento de silêncio pelos militares norte-americanos e civis que morreram esta quinta-feira nas explosões em Cabul. “Que Deus abençoe todos e que proteja as tropa”, disse Biden após o momento de silêncio.
    .

  • Biden: "Estes terroristas do ISIS não vão ganhar"

    O presidente Biden vincou que não vai deixar que os terrorista impeçam a missão norte-americana: “Vamos continuar a retirada de cidadãos”.

    Eis o que precisam de saber: estes terroristas do ISIS não vão ganhar. Não vamos ser dissuadidos pelos terroristas. Vamos resgatar os americanos”, disse ainda.

  • Biden: "Não vamos perdoar, não vamos esquecer. Vamos perseguir-vos e fazer-vos pagar"

    O presidente Biden continua com uma mensagem para os autores dos ataques que vitimaram militares norte-americanos: “Não vamos perdoar, não vamos esquecer. Vamos perseguir-vos e fazer-vos pagar”

  • Biden elogia "heróis" que perderam a vida em Cabul

    Joe Biden diz que os militares norte-americanos que perderam a vida em Cabul são “heróis, envolvidos muna missão perigosa e altruísta para salvar as vidas de outros”.

    “São a espinha dorsal da América, o melhor que a nosso país tem para oferecer.”

    Foi uma missão de evacuação sem precedentes, para retirada de 100.000 cidadãos norte-americanos e colaboradores em apenas 11 dias, destaca, apresentando também condolências a todos os afegãos que perderam a vida esta quinta-feira.

  • Joe Biden fala ao país sobre explosões em Cabul e retirada de militares

    O Presidente dos Estados Unidos tem estado a acompanhar a situação na Sala de Crise da Casa Branca, com o secretário da Defesa Lloyd Austin e o secretário de Estado Antony Blinken.

    Ouça aqui na Rádio Observador, com comentários de Maria Sturken

  • Intérpretes afegãos obrigados a escolher uma mulher? "Questão não foi colocada por nenhum dos 22 que trabalharam com Portugal"

    Questionado sobre as críticas o facto de ter afirmado que os intérpretes afegãos só podiam trazer uma das suas esposas, o ministro da Defesa vincou que não pensa rever estas declarações. “Esta é uma questão perfeitamente secundária no quadro da emergência com a qual estamos a lidar”, disse, acrescentando que esta questão não foi colocada “por nenhum dos 22 que trabalharam com Portugal”. “É uma questão puramente filosófica, teórica”, acrescentou.

  • Portugal tem atualmente capacidade para acolher cerca de 300 afegãos. Mas deverá receber "muitos mais"

    O ministro da Defesa diz que Portugal tem capacidade para acolher “cerca de 300” afegãos. “Se chegassem amanhã, 300 poderíamos acomodar rapidamente”, disse, adiantando que no dia 31 de agosto haverá uma reunião de ministros da Administração Interna para discutir o plano europeu para colhimento. “É natural que no âmbito desse plano, venhamos a receber muitos mais“, disse, acrescentando: “Vamos participar neste esforço coletivo”.

  • Primeiros afegãos acolhidos por Portugal chegam amanhã e serão acolhidos a Lisboa

    O ministro da Defesa explicou que os primeiros afegãos acolhidos por Portugal “chegarão amanhã”, sexta-feira. “Mas há grande incerteza quanto os voos e os percursos. O grande objetivo é retirar gente de Cabul. E isso está a acontecer”, disse à SIC, adiantando que “cada grupo virá a ritmos diferentes”.

    João Gomes Cravinho adiantou que estes primeiros afegãos serão acolhidos em Lisboa. “Os serviços do Alto Comissariado para as Migrações está já com tudo preparado”, disse.

  • Militares portugueses sairão de Cabul "dentro de algumas horas". 38 afegãos acolhidos por Portugal "estão a embarcar"

    Questionado sobre se as explosões poderão mudar a missão dos quatro militares portugueses, o ministro da Defesa disse à SIC que “neste momento a missão está quase concluída”. E explicou: “Eles sairão em breve de Cabul. Dentro de algumas horas. Por razões operacionais, prefiro não aprofundar”. “Eles estão atualmente empenhados em colocar nos aviões os 38 afegãos que estão identificados e validados por nós e que virão em Portugal”, disse ainda, acrescentando que os afegãos “deverão estar a embarcar neste momento”.

  • Ministro da Defesa confirma que militares portugueses "estão todos bem"

    O ministro da Defesa confirmou em entrevista à SIC que os quatro militares portugueses que estão em Cabul “estão todos bem”, embora não tenha falado com eles pessoalmente. “Tenho essa confirmação”, garantiu João Gomes Cravinho.

1 de 5