Quando Neil Alden Armstrong, o primeiro homem a pisar a Lua, morreu de complicações cardíacas em agosto de 2012,  a viúva, Carol Armstrong, doou objetos do escritório do marido de valor histórico e documental ao Smithsonian National Air & Space Museum e à Purdue University, na cidade de Lafayette, Estados Unidos, onde Armstrong estudou.

Alguns meses depois, voltou a contactar o museu Smithsonian. O motivo? Após vasculhar o armário de Neil, encontrou um saco branco cheio de pequenos objetos da missão espacial Apollo 11, entre eles a câmara de 16 milímetros utilizada para registar o momento em que o astronauta toca a superfície lunar.

Allan Needell, curador do Departamento de História Espacial do museu, relata a história no blog do museu, onde encontram-se atualmente os itens como parte da exposição “Outside the Spacecraft: 50 Years of Extra-Vehicular Activity“. “Não preciso dizer que, para um coleccionador de artefactos espaciais, é difícil imaginar qualquer coisa mais excitante do que isto”, comenta.

Nedell reuniu uma equipa de especialistas e confirmou que a origem dos objetos era do módulo lunar Eagle. “Até onde sabemos, Neil nunca comentou a existência destes itens e ninguém mais os viu desde que ele voltou da Lua”, comenta.

O objeto de maior valor encontrado no saco é a câmara de 16 milímetros que foi colocada na janela do Eagle para registar a aterragem e o momento em que Armstrong pisa a Lua.

camara_lua

Crédito: Smithsonian National Air & Space Museum

Outro item identificado foi um tipo especial de saco chamado pelos astronautas de McDivitt Purse, utilizado para guardar pequenos equipamentos e transportá-los para fora do veículo espacial. Também foram encontradas as amarras de cintura que terão sido utilizadas para proteger os astronautas na sua caminhada de volta ao módulo espacial.

cinturao_lua

Crédito: Smithsonian National Air & Space Museum

Apesar dos objetos encontrados por Carol Armstrong terem sido pensados para serem abandonados no espaço, foram intencionalmente preservados em alguma bolsa de armazenamento temporária e trazidos de volta à Terra, conforme transcrições em áudio da missão, explica Nedell.

 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR