O museu das Galleria degli Uffizi em Florença, onde está exposta a famosa obra de Sandro Botticelli “O Nascimento de Vénus”, junta-se agora à luta contra a nova tendência dos “selfie sticks”, proibindo a sua utilização no interior do museu. Os “selfie sticks” constituem a nova tendência para tirar “selfies” – auto-retratos geralmente tirados com a câmara frontal do telemóvel – permitindo uma distância muito superior à que o braço consegue alcançar.

A proibição dos “selfie sticks” nas Uffizi junta-se assim à lista das clássicas proibições dentro de museus como correr, fumar ou tocar nas obras de arte, segundo o jornal espanhol El País.

O museu justifica esta medida aos seus 5,4 milhões de visitantes anuais com a necessidade de proteger as obras de arte — e mesmo as pessoas — de eventuais perigos de utilização do “selfie stick”, diz o El País.

Outros centros de arte famosos também proibiram o uso de “selfie sticks”. Entre eles está o MoMA (Museum of Modern Art) e o museu Metropolitan em Nova Iorque, o Getty Center em Los Angeles e o museu do Vaticano em Roma. Outros, como o Louvre em Paris, ainda permitem o livre uso dos práticos bastões.

Mesmo proibindo os bastões, a maioria dos museus continua a permitir os seus visitantes a tirarem “selfies”. A Fonte de Trevi em Roma, durante o seu restauro, criou mesmo o desafio de “selfies”, a serem posteriormente publicadas no website oficial da atração turística.

Florence, ITALY:  Picture of the arcades of the Uffizi in Florence, 27 Octobre 2006. The floodwaters from the Arno River swept through the city and killed 87 people and poured tonnes of mud into museums and churches. Art restorers have appealed for money to rescue hundreds of works still caked in mud from floods in Florence 40 years ago. AFP PHOTO / ALBERTO PIZZOLI  (Photo credit should read ALBERTO PIZZOLI/AFP/Getty Images)

Florença, Itália. Arcadas das Galerias Uffizi. ©AFP PHOTO / ALBERTO PIZZOLI