Aí está a 68ª edição do Festival de Cannes — arrancou esta quarta-feira e vai durar até 24 de maio. O festival abriu com o filme “La Tete Haute”, realizado por Emmanuelle Bercot. Esta é apenas a segunda vez que uma realizadora abre aquele festival de cinema — a primeira foi Diane Kurys em 1987. No primeiro dos 11 dias de festa de cinema em França, recolhemos cinco dos filmes mais esperados que constam nas análises da BBC, do Indie Wire, do El Confidencial e da Les Inrocks.

– Amy. O documentário sobre Amy Winehouse segue a vida de excessos da cantora até à morte em 2011, quando Amy tinha 27 anos. É assinado por Asif Kapadia, realizador já premiado com um Bafta pelo documentário “Senna”. Agora, “Amy” já começou a gerar polémica. A família da cantora diz que a película contém “algumas mentiras”.

– The Lobster. O filme conta com nomes na interpretação como Colin Farrell, Rachel Weisz ou Léa Seydoux. Na realização está o grego  Yorgos Lanthimos. A história é um desafio: várias pessoas solteiras têm de se apaixonar em 45 dias. Se não conseguirem, serão transformadas em animais e deixadas nos bosques.

– As Mil e Uma Noites. Os três filmes de Miguel Gomes merecem o destaque do Indie Wire. A publicação chama-lhe “uma estrela portuguesa em ascensão” e recorda o sucesso “Tabu”. Note-se que Miguel Gomes contou com uma equipa de jornalistas que, durante um ano, estava encarregado de encontrar histórias em Portugal. Algumas delas fazem agora parte do argumento do filme, que vai ser mostrado na Quinzena dos Realizadores.

– Carol. A história é baseada em “O preço do sal”, obra de Patricia Highsmith de 1950. Cate Blanchett é Carol, uma mulher casada que se apaixona por uma empregada de loja, personagem interpretada por Rooney Mara. A realização é de Todd Haynes, que volta ao grande ecrã com outro enredo feminino.

– Sicario. O filme de ação de Denis Villeneuve é um dos mais esperados para esta 68ª edição do festival de cinema de Cannes. A história protagonizada por Emily Blunt, enquanto agente do FBI contratada para apanhar um cartel de droga mexicano na fronteira entre o México e os EUA, está a entusiasmar a crítica. O filme conta com Benicio del Toro e Josh Brolin na interpretação.