O português Mário Cruz, fotógrafo da Agência Lusa, venceu o prémio do World Press Photo para a categoria “Temas Contemporâneos”.

As imagens premiadas, publicadas na Newsweek, captam um grupo de rapazes no Senegal e na Guiné-Bissau, com idades entre os 5 e os 15 anos, conhecidos como talibés. Sob o título “Escravos modernos” a organização do World Press Photo explica que os rapazes vivem em escolas islâmicas no Senegal sob o pretexto de receberem os ensinamentos do Corão, enquanto são forçados a mendigar nas estradas. Os seus “protetores religiosos” ficam com os bens que as crianças conseguem reunir.

Os vencedores estão assim divididos por oito categorias (“Temas Contemporâneos”, “Vida Quotidiana”, “Notícias Gerais”, “Projetos de Longo Prazo”, “Natureza”, “Pessoas”, “Desporto”, “Notícias Locais”), sendo que cada uma é divida por “singles” (fotografias individuais) e “stories” (conjunto de fotografias). Ora, o português recebeu o prémio na subcategoria de “stories”.

Já o prémio principal, a fotografia do ano, com o título “Esperança por uma vida nova” foi para o australiano Warren Richardson que fotografou, no meio da escuridão da noite, um refugiado a tentar passar um bebé pelo arame farpado da fronteira entre a Hungria e a Sérvia em agosto de 2015:

fotografia do ano. World Press Photo

Warren Richardson