Música Portuguesa

Há um novo festival só com música portuguesa no Coliseu dos Recreios

Acontece a 30 de maio em Lisboa e foca a sua programação na música nacional. Haverá rock com The Legendary Tigerman e Linda Martini e hip hop com Allen Halloween, entre outras atuações.

Os Linda Martini atuaram no Coliseu de Lisboa em 2016 e 2017. Este ano, voltam para um concerto na primeira edição deste festival

Luis Martins

Haverá históricos, por um lado e artistas indie que só se consolidaram recentemente, por outro. Os fãs rock poderão ser atraídos pelos Mão Morta, The Legendary Tigerman e Linda Martini, os fãs de folk e de canções indie mais delicadas poderão ter curiosidade em ir ouvir os mais jovens Luís Severo e You Can’t Win Charlie Brown na segunda maior sala de Lisboa. A fazer a ponte entre os dois géneros estará Samuel Úria e, a ligar o negrume do grunge dos anos 1990 ao género mais popular entre os jovens do século XXI, o hip hop, ouvir-se-á o rapper Allen Halloween.

[“Crescer” é a nova música do rapper Halloween, que atua em Maio neste novo festival:]

Se o cartaz do festival EA Live é abrangente, incluindo diferentes estilos musicais, há algo que une os seus integrantes: a música portuguesa, cujo ecletismo e variedade permite já organizar um cartaz plural e de peso apenas com artistas nacionais. No Coliseu dos Recreios, dia 30 de maio, ouvir-se-ão “os sons mais inspiradores da música portuguesa”, arrisca a organização.

O festival surge no seguimento das EA Live Sessions, um conjunto de 24 sessões musicais organizadas pela Adega da Cartuxa e pelos vinhos EA (Eugénio de Almeida) com artistas portugueses, em Évora. Entre eles estiveram, por exemplo, os Capitão Fausto, Dead Combo, Alexander Search, Três Tristes Tigres, GROGNation, Frankie Chavez e o rapper Nerve.

[A atuação dos Alexander Search, de Salvador Sobral e Júlio Resende, nas EA Live Sessions:]

Além dos artistas já anunciados, haverá ainda um concerto surpresa ainda não anunciado. A organização chama-lhe “Encore Project” e garante que será um projeto inédito, um concerto “criado em exclusivo” para o festival. Ao todo, serão “oito concertos e oito horas de música” no Coliseu lisboeta.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: gcorreia@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)