Bailado

Dois bailarinos portugueses selecionados para final do Prémio de Lausanne

4.407

De um total de 74 candidatos de todo o mundo, o júri escolheu António Ferreira e Alexandre Joaquim para o grupo que chega à final de um dos principais galardões internacionais do mundo da dança.

VALENTIN FLAURAUD/EPA

Autores
  • Agência Lusa

Dois bailarinos portugueses e dois brasileiros estão entre os 21 finalistas do prémio de Lausanne, um dos principais galardões internacionais do mundo da dança.

De acordo com o comunicado divulgado esta sexta-feira, de um total de 74 candidatos de todo o mundo, o júri escolheu os portugueses António Ferreira e Alexandre Joaquim, estando este último, aluno do Centro Internacional de Dança Rosella Hightower, em Marselha, inicialmente identificado como francês na lista de participantes.

António Ferreira, de 15 anos, é aluno da Escola de Dança do Conservatório Nacional, em Lisboa.

Do Brasil foram escolhidos João Vítor da Silva, do Ballet Vórtice, localizado em Uberlândia, no estado de Minas Gerais, e Gabriel Figueiredo, da John Cranko School, em Estugarda, na Alemanha.

Os 74 candidatos de todo o mundo atuaram no palco do Teatro Beaulieu durante as seleções que tiveram lugar hoje [sexta-feira]. Ao longo da semana, ensaiaram com prestigiados profissionais do mundo da dança como a diretora da Escola de Dança da Ópera de Paris, Elisabeth Platel. Os nove membros do júri observaram os candidatos múltiplas vezes antes de revelarem as suas escolhas finais”, pode ler-se no comunicado da organização.

O potencial dos bailarinos foi avaliado tendo por critérios “a facilidade técnica, o talento, a habilidade para dar uma resposta imaginativa e sensível à música e ao comunicar com movimentos claros, entre outros”.

Os candidatos tiveram de praticar repertório clássico bem como criações de Mauro Bigonzetti, Jean-Christophe Maillot, Wayne McGregor, Heinz Spoerli ou Richard Wherlock.

O júri da edição deste ano é composto pelo presidente da Carlos Acosta International Dance Foundation, Carlos Acosta, pelo vice-presidente da organização, Iván Gil-Ortega, por Julio Bocca, ex-bailarino principal do American Ballet Theatre, e também professor, Gillian Murphy, bailarino principal do American Ballet Theatre, Madeleine Onne, diretora artística do Finnish National Ballet, Garry Trinder, diretor da New Zealand School of Dance, Éric Vu-An, diretor artístico do Ballet Nice Méditerranée, Samuel Wuersten, diretor do Holland Dance Festival, e Miyako Yoshida, consultora artística da Companhia Nacional de Bailado do Japão.

O Prix de Lausanne, um dos mais importantes galardões dedicados à dança, foi criado em 1973, e é gerido pela Fondation en Faveur de l’Art Chorégraphique.

As finais vão ter lugar no sábado, a partir das 14h30 (13h30, em Lisboa), com oito dos finalistas a receberem bolsas de estudo.

[Veja o vídeo do quarto dia da competição para o prémio de Lausanne]

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)