O episódio “Stark Raving Dad” da série ”The Simpsons” vai ser removido da televisão, dos serviços de streamming e dos DVD’s por incluir uma partipação de Michael Jackson, adianta o Wall Street Journal. A decisão foi tomada pela equipa de produção da série na sequência dos alegados escândalos de pedofilia denunciados no polémico documentário ”Leaving Neverland”, da HBO.

Há 28 anos, o cantor fez uma participação especial na série de animação da Fox e foi a voz da personagem Leon Kompowsky, um paciente que Homer Simpson  conhece numa instituição de saúde mental, e que afirma ser um cantor.

O produtor executivo James L. Brooks disse ao jornal norte-americano que retirar o episódio do ar ”é a única escolha a fazer”.

”Eu sou contra queimar livros, seja como for, mas este é o nosso livro e nós podemos retirar um capítulo”, disse.

https://www.youtube.com/watch?v=6t70Gf4Fcao

O documentário estreia-se nesta sexta-feira na HBO Portugal e apresenta os testemunhos de Wade Robson, 36 anos, e de James Safechuck, 40 anos, que contam que foram sexualmente abusados pelo cantor quando eram crianças e visitavam a mansão ”Neverland”, onde Michael Jackson recebia vários miúdos. Os responsáveis pela herança do cantor apresentaram uma queixa contra a HBO e exigem 100 milhões de dólares (mais de 88 milhões de euros).

Antes da estreia do documentário, uma ex-empregada da mansão deu uma entrevista ao programa ”60 minutes”, da CBS, em que afirmou que o cantor ”era um pedófilo” e disse mesmo ter visto roupa interior de Michael Jackson e das crianças junto ao jacuzzi, vaselina e tampões junto à cama do cantor, livros e cassetes VHS com conteúdos ”íntimos”. ”Disseram-me que se falasse disto na televisão contratavam um assassino para me sequestrar, cortar o meu pescoço e esconder o meu corpo”, contou.