O ano de 2019 acentuou a tendência de queda das exportações do calçado português, com a faturação no exterior a cair 7,9% nos primeiros sete meses do ano, avança o Jornal de Negócios.

Este resultado negativo surge depois de em 2018 as exportações já terem recuado cerca de 3%, para um total de 1,9 mil milhões de euros. Em consequência, refere o último boletim de conjuntura da associação que congrega as empresas deste setor (APICCAPS), passou para 13% a percentagem de empresas com dificuldades financeiras, o valor mais alto em seis anos.

Apesar da trajetória negativa, a APICCAPS vê esta contração com naturalidade. “Depois de uma década de crescimento, seria natural que o setor sofresse algum reajustamento”, disse o diretor de comunicação daquela associação, Paulo Gonçalves, ao Jornal de Negócios. “Seria impossível crescer eternamente, refere.

A queda nas exportações do calçado português é o reflexo direto de uma quebra no mercado europeu — em França, o maior cliente, o mercado recuou 5,1% para 236 milhões de euros e na Alemanha caiu 13% para 197 milhões de euros. Ao mesmo tempo, as exportações para os EUA e para a China subiram — 17,6% num total de 47,2 milhões de euros e 45% para a China num total de 17 milhões de euros, respetivamente.