Um exemplar da primeira coletânea de peças do dramaturgo inglês William Shakespeare foi vendido esta quarta-feira por 9,97 milhões de dólares (cerca de 8,5 milhões de euros) num leilão em Nova Iorque, atingindo um recorde para uma obra literária.

O preço pago pelo livro, que já inclui comissão e outros custos, ultrapassou largamente a estimativa do leiloeiro que organizou a venda, a casa Christie’s, que previa um preço entre os quatro e seis milhões de dólares (3,4 e 5,1 milhões de euros, respetivamente).

Esta coletânea de peças de William Shakespeare, impressa em 1623, reúne 36 peças do britânico e é por vezes considerada a maior obra literária da língua inglesa, noticia a agência AFP.

Publicado após a morte do dramaturgo (1564-1616), o livro é o resultado de um trabalho de coleta realizado por dois amigos do autor, John Heminge e Henry Condell.

A coleção contém peças importantes e que poderiam ter sido perdidas sem esta publicação, como “Macbeth” e “Night of the Kings”.

A cópia vendida esta quarta-feira em Nova Iorque é uma das seis que estão em poder de colecionadores privados e estabeleceu um novo recorde para uma obra literária.

Vários livros já ultrapassaram este valor, como o ‘Codex Leicester’ de Leonardo Da Vinci, comprado por 30,8 milhões de dólares (26,2 milhões de euros) por Bill Gates em 1994, e que estabeleceu um recorde. Normalmente estes valores elevados são pagos para trabalhos de investigação, como o “Codex Leicester”, obras religiosas, livros ilustrados ou documentos oficiais.