A atriz Raquel André vai interpelar o público sobre o que é ser espectador, a partir desta quinta-feira, no Centro Cultural Malaposta, em Olival Basto, Odivelas, no processo de construção da “Coleção de Espectador_s”, o seu mais recente trabalho.

“Coleção de Espectador_s”, que dará origem a novo espetáculo a estrear em junho, no Teatro Nacional Dona Maria II, em Lisboa, encerra a tetralogia iniciada em 2014, com o projeto “Coleção de Pessoas”, com a qual a criadora já realizou três coleções – de “Amantes”, de “Colecionadores” e de “Artistas”.

Raquel André define a nova ‘coleção’ como “um espetáculo, um museu e uma grande conversa”, entre si e as “testemunhas, interlocutores que se deixaram afetar”, num processo que dá origem a um novo projeto multidisciplinar, que se efetiva em dois momentos.

O primeiro está relacionado com a criação do ‘site’ ‘collectionofspectators.com’, lançado em outubro último, através do qual insta as pessoas a interagirem e a participarem consigo.

O projeto surge no âmbito do Dia Europeu do Espectador (21 de novembro), iniciativa da rede europeia Be SpectACTive, para o qual foi selecionada.

Um segundo momento, concretiza-se com a ocupação artística “Espectador_Espectador”, com que se apresenta agora na Malaposta, até ao final do mês.

Conferências, conversas, ‘performances’ e uma exposição fazem parte da iniciativa que estará neste centro cultural até dia 29, período em que a criadora pretende continuar a fazer uma “catalogação do efémero”, com que define o projeto “Coleções…”, iniciado em 2014 e que, ao longo de seis anos, lhe permitiu contactar com várias pessoas, de vários países e em vários países, com diferentes idades e diferentes percursos de vida.

Visitas guiadas, oficinas de espectadores e conversas sobre o que é ser espectador – estas duas em versão ‘online’ -, e uma ‘performance’, resultante das oficinas, constam da iniciativa na Malaposta.

Nos dois últimos dias da iniciativa na Malaposta – 28 e 29 deste mês -, serão ainda realizadas duas ‘performances’/conferências, seguidas de conversas com criadores.

No dia 28, a conferência estará a cargo dos criadores Ana Borralho e João Galante, que também participarão na conversa que se sucederá e que contará com a participação da historiadora e programadora de arte Magda Henriques e da jornalista Cláudia Sobral.

No dia 29, o último da iniciativa, a ‘performance’/conferência estará a cargo da Ondamarela, projeto nas áreas artística, cultural e educativa, que também participará na conversa assim como Alexandra Patuleia, uma espectadora especializada de um projeto da Artemrede, e da diretora-geral da Aceso Cultura, Maria Vlachou.

“Collectionofspectators.com” é uma criação de António Pedro Lopes, Bernardo de Almeida e Raquel André, com ‘web design’ de Sérgio Couto e vídeos de Afonso Sousa, e conta com o apoio da Fundação GDA, do Centro Cultural Malaposta e da Associação Cultural Minutos Redondos.

Em julho de 2021, o espectáculo resultante da “Coleção de Espectador_s” estrear-se-á na Sala Garrett, do Teatro Nacional Dona Maria II, em Lisboa.

A atriz Raquel André foi a artista selecionada para a celebração do Dia Europeu do Espectador, 21 de novembro, iniciativa da rede europeia Be SpectACTive.

Esta rede, da qual a Artemrede é o parceiro português, visa a mobilização e criação de públicos e tem por objetivo “motivar a atitude ativa de espectadores, através de criações artísticas, grupos de discussão e programação, e iniciativas de capacitação”.

A ‘performer’ apresentou a proposta artística vencedora com a associação Artemrede, resultando no “acontecimento em ambiente digital”.

Em 2019, Raquel André levou ao palco do Teatro Nacional D. Maria II o terceiro momento da sua “Coleção de Pessoas”, com a “Coleção de Artistas”.

O projeto foi iniciado no Brasil, em 2014, onde ficou a viver sete anos, depois de uma residência artística, no Rio de Janeiro.

Este projeto inclui produções de teatro, uma peça televisiva, uma exposição, um livro e uma conferência.

Raquel André já fez cinema, teatro e colaborou com o músico Valete.

Estudou teatro na Escola Superior de Teatro e Cinema, em Lisboa.

Na Universidade Federal do Rio de Janeiro, com uma bolsa atribuída pela Fundação Calouste Gulbenkian, terminou o mestrado sob o tema “Colecionar em Artes Performativas”, em 2016, com orientação da investigadora e ‘performer’ Eleonora Fabião.

Atualmente é artista da Advancing Performing Arts, com o apoio do Teatro Nacional D. Maria II.

A Artemrede atua, desde 2005, nas áreas da programação em rede, do apoio à criação, da formação e da mediação cultural.

Atualmente é constituída por 17 municípios associados: Abrantes, Alcanena, Alcobaça, Almada, Barreiro, Lisboa, Moita, Montemor-o-Novo, Montijo, Oeiras, Palmela, Pombal, Santarém, Sesimbra, Sobral de Monte-Agraço, Tomar e Torres Vedras.