Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Vamos encerrar por aqui este liveblog, que acompanhou a atualidade relacionada com a pandemia de Covid-19 ao longo da última sexta-feira.

    Pode continuar a seguir-nos aqui.

    Boris Johnson é alvo de críticas por não se isolar após contacto com caso positivo

  • Linhas vermelhas. Delta representa 98,3% das infeções e há 62 casos da Delta Plus

    Praticamente só a variante Delta tem expressão no país. Segundo o mais recente relatório das linhas vermelhas, esta variante representa 98,3% das novas infeções.

    “A sua frequência tem aumentado em todas as regiões durante as últimas semanas, tendo-se registado valores acima de 95% em todas as regiões”, desde a semana que teve início a 12 de julho.

    Até à data, registaram-se 62 casos da Delta Plus em Portugal, com três novos casos de infeção detetados nas semanas 28 e 29 de 2021 (12 de julho a 25 de julho).

    Fonte: Insa

  • Linhas vermelhas. Só acima dos 80 anos há tendência crescente de novas infeções

    Apesar de terem das taxas de incidência mais baixas do país (mais baixa só a da faixa etária 70-79 anos), é entre os mais idosos, acima dos 80 anos que se encontra a uma tendência crescente de novas infeções. E isso poderá levar a um aumento de mortes e internamentos nas próximas semanas, lê-se no relatório das linha vermelhas da pandemia.

    Entre os maiores de 80 anos, a taxa de incidência foi 168 por mil habitantes, enquanto entre os 70 – 79 anos foi de 116 novos casos por cem mil. Os piores valores são no grupo dos 20 aos 29 anos (791 casos por 100 mi habitantes), apesar de a tendência já ser decrescente.

    Fonte: Insa

  • Linhas vermelhas. Mortalidade com tendência crescente que se deverá manter nas próximas semanas

    Os indicadores mostram ainda que a mortalidade por Covid-19 está em curva crescente. Há 16,4 óbitos em 14 dias por milhão de habitantes, com tendência crescente e acima do limiar do ECDC (10 casos).

    O relatório do Insa e da DGS diz ainda que a pressão sobre os cuidados de saúde “dá indicação de estabilização ou início de diminuição”. No entanto, a mortalidade manter-se-á provavelmente elevada nas próximas semanas, dado o aumento de casos de infeção acima dos 80 anos.

  • Linhas vermelhas. Atividade da pandemia está a cair, mas a sua intensidade ainda é elevada

    Há uma queda nos indicadores, mas não o sufciente para se poder falar em alívio. O mais recente relatório das linhas vermelhas da pandemia, da DGS e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (Insa), mostra que a atividade da pandemia está a cair, mas a sua intensidade ainda é elevada.

    • O número de novos casos por 100 mil habitantes, acumulado nos últimos 14 dias, foi de 357 casos, com tendência decrescente a nível nacional. A exceção é o Algarve, com 869 casos por 100 mil habitantes.
    • A análise dos diferentes indicadores, lê-se no relatório, revela uma atividade epidémica de elevada intensidade, com tendência decrescente a nível nacional. Só no Centro e Alentejo se mantém crescente.
    • O Rt apresenta valores inferiores a 1, indicando uma tendência decrescente da incidência a nível nacional (0,92) e na maioria das regiões do continente. Exceção, de novo, para as regiões Centro e Alentejo onde se mantém acima de 1 com tendência crescente nestas duas regiões.

    Fonte: Insa

  • Regulador europeu identifica trombocitopenia imune como efeito secundário de vacina da Janssen

    O regulador europeu do medicamento identificou efeito secundário da toma da vacina Jansen — a trombocitopenia imune, que destrói ou diminui plaquetas no sangue, essenciais no processo de coagulação.

    Regulador europeu identifica trombocitopenia imune como efeito secundário de vacina da Janssen

  • Espanha regista 21.561 contágios, 75 óbitos e incidência acumulada a descer

    Espanha registou 21.561 novos casos da doença Covid-19 e 75 óbitos nas últimas 24 horas, segundo dados do Ministério da Saúde espanhol, que apontam igualmente que a incidência acumulada de infeções no país continua a descer.

    Com estes dados, o total acumulado de infeções em Espanha desde o início da pandemia subiu para 4.588.132, enquanto o número de óbitos aumentou para 82.006, dos quais 363 foram notificados desde segunda-feira.

    A incidência acumulada de infeções de Covid-19 em Espanha nos últimos 14 dias voltou a descer, situando-se agora nos 591,1 casos por cada 100 mil habitantes, de acordo com a mesma fonte.

  • Governo dos Açores altera matriz e São Miguel e Terceira passam a baixo risco

    O Conselho de Governo dos Açores alterou a matriz de avaliação da Covid-19 e as ilhas de São Miguel e Terceira entram em baixo risco a partir das 00h00 de segunda-feira, revelou hoje o secretário regional da Saúde.

    De acordo com Clélio Meneses, naquelas duas ilhas os ajuntamentos e ocupação de mesas em cafés ou restaurantes são alargados para oito pessoas, o comércio e a restauração passam a funcionar com um máximo de dois terços da capacidade, sem restrições horárias, e os eventos culturais e desportivos acolhem um terço da lotação.

    De acordo com a nova matriz, foi também alterado o rácio de casos de Covid-19 que impõe a obrigatoriedade de rastreio à infeção por SARS-CoV-2 para as viagens interilhas, “razão pela qual, nos voos a partir da Terceira, deixa de ser obrigatória a realização de teste, bem como o teste ao 6.º dia”.

  • São Vicente e Granadinas. Primeiro-ministro agredido durante um protesto contra vacinação obrigatória

    O primeiro-ministro de São Vicente e Granadinas, Ralph Gonsalves, foi agredido na quinta-feira durante um protesto contra a vacinação obrigatória. Os manifestantes protestavam contra as alterações à Lei de Saúde Pública que irá tornar obrigatória a vacinação contra a Covid-19 para alguns funcionários públicos e do sector da saúde.

    A agressão aconteceu quando o primeiro-ministro entrava na Assembleia Legislativa, na capital Kingstown, mas só hoje foi divulgada pela imprensa internacional Cerca de 200 manifestantes esperavam Gonsalves e, segundo o gabinete do primeiro-ministro citado pela Reuters, impediram-no de entrar no edifício.

  • Tribunal tailandês suspende lei que impedia notícias sobre pandemia

    A lei aprovada na semana passada pelo primeiro-ministro Prayut Chan-ocha, que punia até dois anos de prisão a divulgação de notícias sobre a pandemia, foi suspendida esta sexta-feira.

    Tribunal tailandês suspende lei que impedia notícias sobre pandemia

  • Boris Johnson não fará isolamento depois de contactar Covid positivo

    Um membro do staff de Boris Johnson que o acompanhou durante a sua visita à Escócia teve diagnóstico Covid positivo, mas o primeiro-ministro britânico não irá cumprir isolamento.

    Segundo o The Guardian, Downing Street alega que o primeiro-ministro não teve contacto próximo com o funcionário, mas uma outra fonte garante que estiveram “lado a lado” em diversas ocasiões. A mesma fonte diz que ambos viajaram no mesmo avião entre Glasgow e Aberdeen.

    Boris Johnson esteve recentemente em isolamento depois de ter mantido contacto próximo com o ministro da Saúde, Sajid Javid, infetado com Covid.

  • Lacerda Sales. É possível vacinar crianças saudáveis antes do início do ano letivo

    Respondendo às perguntas dos jornalistas, Lacerda Sales garantiu que, se for essa a decisão técnica, o país está preparado para avançar para a vacinação de adolescentes saudáveis contra a Covid-19. Mas isso só acontecerá mediante parecer da DGS nesse sentido.

    “Estamos preparados para poder vacinar crianças dos 12 aos 15 anos saudáveis se for essa a decisão da DGS, ainda antes do ano letivo”, disse o secretário de Estado da Saúde na Guarda, à margem da visita a um centro de vacinação.

  • Lacerda Sales. Convergência total com o PR sobre vacinação dos 12 aos 15 anos

    Instado a comentar as declarações de Marcelo Rebelo de Sousa sobre a generalização da vacinação para adolescentes dos 12 aos 15 anos, Lacerda Sales escusou-se a fazê-lo. “Não comento as considerações de órgãos de soberania, nomeadamente do Presidente da República.”

    Apesar disso, disse ter encontrado convergência entre a posição de Marcelo e a do Governo. “O que interpretei do que disse o Presidente da República foi uma enorme convergência em relação ao que estamos a fazer: estamos a ganhar tempo para tomar uma decisão baseada em robustez científica e em dados consolidados com maior amplitude”, afirmou o secretário de Estado na Guarda.

    “O Presidente da República, como todos os portugueses, o que quer é ver o maior número de população vacinada no menor tempo possível. Não podíamos estar mais de acordo.”

  • Boletim DGS. Entroncamento é o único concelho populoso a subir incidência há mais de um mês

    Entre os 15 concelhos com maior densidade populacional (dados dos Censos 2011), o Entroncamento é o único que aumentou a incidência cumulativa na última semana. Aliás, o concelho têm aumentado a incidência desde 22 de junho, quando registou 28 novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias.

    Porto, Lisboa e Matosinhos são os únicos três no nível de risco (acima de 480 novos casos por 100 mil habitantes) e São João da Madeira é o único que não se encontra no nível de alerta (está abaixo dos 240 casos por 100 mil habitantes).

    Concelhos Incidência a 4.Ago
    Incidência a 28.Jul
    Amadora 388 460
    Lisboa 595 750
    Porto 685 823
    Odivelas 359 481
    Oeiras 359 393
    Matosinhos 556 736
    São João da Madeira 236 240
    Almada 374 492
    Barreiro 444 626
    Cascais 409 447
    Vila Nova de Gaia 459 562
    Seixal 339 407
    Maia 413 521
    Espinho 438 517
    Entroncamento 383 269

  • Lacerda Sales: Terceira dose da vacina "ainda não está em cima da mesa"

    O secretário de Estado da Saúde, que está na Guarda para uma visita a um centro de vacinação, recusou esta tarde comprometer-se com decisões sobre a toma de uma terceira dose da vacina contra a Covid-19.

    “Ainda não está sobre a mesa, não devemos abrir expectativas em relação a algo que ainda não está sobre a mesa”, disse Lacerda Sales, respondendo a perguntas dos jornalistas.

    “Precisamos de robustez científica e de dados devidamente consolidados”, afirmou e que, depois disso, sejam ouvidos os organismos técnicos, ou seja, a DGS. “Depois, em conformidade com as decisões tomadas pelo órgão técnico, poderemos planear e aturar.”

  • Boletim DGS. Todos os concelhos da AMP desceram incidência, exceto Arouca

    Todos os concelhos da área metropolitana do Porto, com exceção de Arouca (o único concelho de baixa densidade daquela região) desceram a incidência cumulativa a 14 dias.

    As maiores descidas na incidência acumulada registaram-se em Matosinhos, São Tirso e Porto — nas últimas duas semanas o Porto desceu de 871 para 685 casos por 100 mil habitantes. O Porto e Matosinhos são os dois concelhos com maior incidência, acima do nível de risco.

    Concelhos Incidência a 4.Ago
    Incidência a 28.Jul
    Arouca 354 281
    Espinho 438 517
    Gondomar 439 533
    Maia 413 521
    Matosinhos 556 736
    Oliveira de Azeméis 154 208
    Paredes 435 550
    Porto 685 823
    Póvoa de Varzim 397 486
    Santa Maria da Feira 214 237
    Santo Tirso 311 482
    São João da Madeira 236 240
    Trofa 403 439
    Vale de Cambra 212 217
    Valongo 402 513
    Vila do Conde 445 478
    Vila Nova de Gaia 459 562

  • Portugal atinge objetivo de 70% da população vacinada com uma dose

    O Ministério da Saúde afirmou esta sexta-feira que Portugal atingiu o objetivo de ter 70% da população vacinada com a primeira dose antes da data prevista.

    Portugal atinge objetivo de 70% da população vacinada com uma dose

  • Boletim DGS. Todos os concelhos da AML desceram incidência cumulativa

    Todos os concelhos da área metropolitana de Lisboa (AML) desceram a incidência acumulada a 14 dias. As maiores descidas registaram-se em Vila Franca de Xira, Barreiro, Moita, Montijo e Lisboa.

    O concelho de Lisboa é o que tem a maior incidência cumulativa e o único no nível de risco (acima de 480 casos por 100 mil habitantes), mas com uma descida acentuada nas últimas duas semanas (de 840 para 595 casos por 100 mil habitantes).

    Concelhos Incidência a 4.Ago Incidência a 28.Jul
    Alcochete 145 211
    Almada 374 492
    Amadora 388 460
    Barreiro 444 626
    Cascais 409 447
    Lisboa 595 750
    Loures 370 494
    Mafra 325 406
    Moita 411 592
    Montijo 227 387
    Odivelas 359 481
    Oeiras 359 393
    Palmela 242 314
    Seixal 339 407
    Sesimbra 341 439
    Setúbal 283 353
    Sintra 373 450
    Vila Franca de Xira 314 514

  • Boletim DGS. 30 concelhos no nível de risco e 90 no nível de alerta

    Portugal continental tem, esta semana, 30 concelhos num nível de risco (acima de 480 novos casos por 100 mil habitantes) — mais oito do que na semana passada — e 90 concelhos num nível de alerta (entre 240 e 479,9 casos por 100 mil habitantes) — menos oito do que na semana passada.

    Assim, 158 concelhos, abaixo dos 240 casos por 100 mil habitantes, estão fora dos níveis de alerta, mais 16 do que na semana passada.

    O Conselho de Ministros decidiu, no dia 29 de julho, que a monitorização da evolução da pandemia, ainda que se baseie nos indicadores de incidência e índice de transmissibilidade — R(t) —, vai estar adaptada à evolução da vacinação.

  • Boletim DGS. Mais de metade dos concelhos (181) com incidência inferior a 240 novos casos por 100 mil habitantes

    Além dos três concelhos acima de 960 novos casos por 100 mil habitantes, esta semana registaram-se 29 concelhos com incidência entre 480 e 959,9 novos casos por 100 mil habitantes — menos sete do que na semana passada.

    Foram registados 95 concelhos com incidência cumulativa entre 240 e 479,9 novos casos por 100 mil habitantes — menos sete do que a semana passada —, 91 com incidência entre 120 e 239,9 casos por 100 mil habitantes — menos um do que na semana passada — e 90 abaixo de 120 casos por 100 mil habitantes — mais 14 do que há uma semana.

    O boletim epidemiológico da DGS divide os 308 concelhos de Portugal continental e insular consoante as categorias de risco definidas pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC).

1 de 3