Histórico de atualizações
  • Vamos encerrar por aqui este artigo liveblog, que seguiu a atualidade relacionada com a pandemia de Covid-19 ao longo do dia de ontem, sábado.

    Continue, por favor, a acompanhar-nos nesta nova ligação. Muito obrigado!

    Mais de 350 detidos por violarem confinamento obrigatório em Portugal

  • Cabo Verde soma mais 68 novos casos em 24 horas

    Cabo Verde registou 68 novos casos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando para 35.147 o acumulado desde o início da pandemia, informou hoje o Ministério da Saúde cabo-verdiano.

    Em comunicado, aquele ministério avançou que foram analisadas 1.358 amostras desde sexta-feira e somam-se 68 casos novos de infeção pelo novo coronavírus, numa taxa de positividade de 5%.

    Na ilha de Santiago há 38 novos infetados, distribuídos pelos concelhos da Praia (32), Tarrafal e Santa Catarina com dois cada e Ribeira Grande e São Salvador do Mundo com um caso cada.

    Os restantes infetados foram diagnosticados em São Vicente (14), Maio (seis), Boa Vista (cinco), Ribeira Brava de São Nicolau (dois), e um cada no Paul (Santo Antão), Brava e São Filipe (Fogo).

  • França. Dezenas de milhares manifestaram contra certificado e vacinas

    Várias dezenas de milhares de pessoas manifestaram-se hoje por toda a França contra o certificado de vacinação exigido pelo governo e contra a toma das vacinas, numa mobilização que se repete pela terceira semana consecutiva.

    No final do dia, o Ministério do Interior francês anunciou que tinha contabilizado 160.000 manifestantes nas 222 marchas de protesto realizadas em todo o país, das quais 14.500 ocorreram em Paris.

    No fim de semana passado, o ministério tinha contado mais de 175.000 manifestantes.

    Leia mais aqui:

    Covid-19: Dezenas de milhares manifestaram-se em França contra certificado e vacinas

  • Madeira com 21 novos casos e 57 recuperações

    A Madeira registou hoje 21 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 e 57 recuperações, indicou a Direção Regional de Saúde, referindo que o total de infeções ativas no arquipélago é agora de 303, com cinco doentes hospitalizados.

    Entre os novos positivos, há 14 de transmissão local e sete importados (três do Reino Unido, dois da Região Norte, um de Lisboa e Vale do Tejo e um da Croácia), sendo que a região autónoma passa a contabilizar 11.214 casos confirmados de infeção por SARS-CoV-2 desde o início da pandemia de Covid-19, já com 10.836 recuperados, e 75 mortos associados à doença.

    Os dados da autoridade regional diferem dos apresentados hoje pela Direção-Geral da Saúde, que atribui à Madeira 27 novos casos, num total de 11.656 reportados desde março de 2020, e 72 óbitos.

    Em relação ao isolamento dos 303 casos ativos, a direção regional refere que cinco pessoas estão internadas no Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, e 67 encontram-se numa unidade hoteleira dedicada, permanecendo as restantes em alojamento próprio.

    Há também 98 situações que se encontram hoje em apreciação, relacionadas com viajantes identificados no aeroporto, contactos com casos positivos ou outras situações reportadas à linha SRS24 ou provenientes dos vários postos de testagem do arquipélago.

  • Mais de 76 mil vacinados neste sábado, maioria jovens dos 12 aos 17 anos

    Até às 18h30 deste sábado, mais de 76 mil utentes já tinham sido vacinados, indicou a task force da vacinação contra a Covid-19.

    Entre estes 76 mil, mais de 60 mil foram jovens dos 12 aos 17 anos, acrescenta a mesma fonte.

  • Moderna diz que "as descobertas iniciais" sobre morte de dois japoneses vacinados "estarão disponíveis no início da próxima semana"

    Este sábado, a Moderna e a Takeda [parceira farmacêutica no Japão] reagiram morte dos dois japoneses que foram vacinadas com um de três lotes da vacina da Moderna que estão a ser investigados pelo Ministério da Saúde japonês por suspeitas de contaminação. Segundo um comunicado enviado às redações, a Moderna afirma que as “descobertas iniciais estarão disponíveis no início da próxima semana”.

    Até o momento, não temos reclamações de qualidade do produto relacionadas a partículas no lote relacionadas ao infeliz falecimento dos dois indivíduos”, refere a Moderna e a Takeda.

    A Moderna continua a afirmar que não há “nenhuma evidência” quanto às mortes terem sido causadas pela vacina da empresa e, juntamente com a Takeda, afirma que a “investigação está a ser conduzida com o maior sentido de urgência, transparência e integridade e é da mais alta prioridade”.

    Japão. Duas pessoas morreram depois de tomarem a vacina da Moderna, que diz não haver “evidência” de ligação

  • Jovens atiraram pedras e garrafas à PSP após fecho de bares em Lisboa

    Um vídeo partilhado nas redes sociais mostra jovens a atirar pedras e garrafas à polícia. Agentes da PSP tentavam fazer cumprir regras impostas para fecho de bares devido à pandemia de Covid-19.

    Jovens atiraram pedras e garrafas à PSP após fecho de bares em Lisboa

  • Fundação Portuguesa do Pulmão diz que é prematuro abandonar a máscara

    A Fundação Portuguesa do Pulmão considera que é prematuro abandonar a obrigatoriedade do uso de máscara de proteção respiratória e outras medidas de proteção individual contra a propagação da pandemia de Covid-19.

    “Apesar dos indiscutíveis avanços que temos registado no combate à presente pandemia, sobretudo na sequência do sucesso da campanha de vacinação, a respetiva situação epidemiológica aconselha que se deva manter um robusto nível de medidas preventivas”, defende a instituição em comunicado enviado à agência Lusa.

    A fundação sustenta que a variante Delta, com uma capacidade de contágio 60% superior à anterior, e o conhecimento de que a vacina não tem eficácia suficiente para impedir totalmente, quer a infeção, quer a transmissão do vírus, justificam medidas acrescidas.

    Leia mais aqui:

    Fundação Portuguesa do Pulmão diz que é prematuro abandonar a máscara

  • Norte continua a ser a região com maior número de novos casos diários de Covid-19

    Dos 2.374 novos casos de Covid-19 nas últimas 24h, 910 foram registados no Norte. Mas é em Lisboa que há mais óbitos: quatro dos oito mortes foram nesta região. O boletim deste sábado indica ainda que há menos internamentos e doentes em Cuidados Intensivos.

    Norte continua a ser a região com maior número de novos casos diários de Covid-19

  • Boletim DGS. Há mais 2.835 recuperados e número de casos ativos diminui

    De acordo com os dados do boletim deste sábado, há mais 2.835 pessoas recuperadas da Covid-19 e menos 469 casos ativos. Há agora 44. 957 casos ativos em Portugal.

    No total, Portugal já registou 1.033.165 casos de infeção por Covid-19 e 17.711 mortes associadas.

  • Boletim DGS. Norte registou maior número de novos casos, Lisboa teve o maior número de óbitos

    Dos 2.374 novos casos de Covid-19, o Norte voltou a ser a região que verificou o maior número de novas infeções: mais 910 nas últimas 24 horas, o que corresponde a 38% do total de novos casos. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo, com 723 novos casos (30%), o Centro, com 332 novas infeções (14%), o Alentejo, com 179 novos casos (7,5%) e a região do Algarve, que registou 185 novos casos de Covid-19, o que corresponde a 7,8% do total.

    Já no que diz respeito ao número de óbitos, foram registadas quatro mortes em Lisboa e Vale do Tejo, duas no Norte e duas no Centro.

    O indicador de transmissibilidade, conhecido como R(t), a nível nacional e continental manteve-se inalterado em relação às últimas contas das autoridades de saúde, com 0,99. O mesmo acontece com a incidência nacional, que continua a ser de 312,7 casos em 14 dias por 100 mil habitantes. Sobe para 317,7 casos, se nos concentrarmos apenas no continente.

  • Boletim DGS. Há menos 18 internamentos e menos 1 pessoa nos Cuidados Intensivos

    De acordo com o boletim deste sábado, o número de pessoas internadas por complicações associadas à Covid-19 registou uma descida: há menos 18 pessoas internadas, num total de 657.

    Há também menos uma pessoa nas Unidades de Cuidados Intensivos, sendo agora 143 no total.

  • Boletim DGS. Mais 8 mortes e 2.374 casos de Covid-19 em Portugal

    Portugal registou nas últimas 24 horas mais 2.374 novos casos de infeção por Covid-19, indica o relatório da Direção-Geral da Saúde (DGS) deste sábado. O número de casos é superior aos que foram contabilizados esta sexta-feira (2.370).

    O documento indica ainda que foram registados mais oito óbitos provocados pela Covid-19.

  • Açores registam 20 novos casos e 37 recuperações

    Os Açores registaram 20 novos casos de infeção pelo novo coronavírus que provoca a Covid-19 e 37 recuperações, reduzindo o número de casos ativos para 262, revelou este sábado a Autoridade de Saúde Regional.

    Segundo o comunicado diário da Autoridade de Saúde Regional dos Açores, dos 20 novos casos diagnosticados nas últimas 24 horas, 12 registaram-se na ilha de São Miguel, seis na ilha Terceira e dois na ilha do Faial.

    Três casos foram detetados em “laboratórios não convencionados” e os restantes resultam de “798 análises realizadas nos laboratórios de referência” da região.

    Na ilha de São Miguel, “há 11 casos em contexto de transmissão comunitária e um relativo a um viajante, não residente, que obteve resultado positivo na sequência de teste realizado após ter apresentado sintomatologia”.

    Também na ilha do Faial “os dois testes positivos correspondem a dois viajantes, não residentes, que obtiveram resultado positivo na sequência de testes realizados após terem apresentado sintomatologia”.

    Já na ilha Terceira, um dos casos é “relativo a um viajante, residente, que obteve resultado positivo na sequência de teste realizado após ter apresentado sintomatologia” e os restantes cinco têm origem “por aferir”.

    Na quinta-feira, a Autoridade de Saúde Regional tinha declarado a ilha Terceira livre de transmissão comunitária do SARS-CoV-2.

    Com o evoluir da situação pandémica na ilha Terceira, nomeadamente a redução do número de casos novos e a identificação das cadeias de transmissão local existentes, declara-se que a Terceira deixa de apresentar evidência de transmissão comunitária, passando a encontrar-se no nível de muito baixo risco”, justificou a autoridade, na altura.

    O comunicado deste sábado revela ainda que dois casos anteriormente reportados, com história de ligação aérea com o exterior do arquipélago, “apresentaram documentação comprovativa de uma anterior infeção e respetiva recuperação, deixando de ser considerados casos ativos”.

    Nas últimas 24 horas, foram registadas também 37 recuperações de infeção nos Açores: 31 em São Miguel, três na Graciosa, duas na Terceira e uma em São Jorge.

    O número de internamentos não sofreu alterações, continuando no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, 11 doentes com covid-19, três deles em unidade de cuidados intensivos.

    Os Açores têm atualmente 262 casos ativos de infeção por SARS-CoV-2, dos quais 221 em São Miguel, 19 na Terceira, nove no Faial, sete na Graciosa, quatro no Pico e dois em São Jorge.

    Desde o início da pandemia, foram diagnosticados na região 8.661 casos de infeção, tendo ocorrido 8.190 recuperações e 41 mortes. Saíram do arquipélago sem terem sido dadas como curadas 94 pessoas e 74 apresentaram comprovativo de cura anterior.

    Na sexta-feira, o presidente do Governo Regional dos Açores revelou que o arquipélago tem uma taxa de vacinação completa contra a covid-19 de 71,2%.

    Na ilha de Santa Maria a percentagem de pessoas com a vacinação completa é de 80%, em São Miguel e na Terceira é de 70%, na Graciosa é de 77%, em São Jorge e no Pico de 78%, no Faial de 74%, no Corvo 87% e nas Flores de 69%.

  • Covid-19. Austrália regista recorde de infeções diárias com 1.126 casos

    A Austrália registou este sábado 1.126 novas infeções do SARS-CoV-2, um recorde de contágios diários desde o início da pandemia no país.

    Covid-19. Austrália regista recorde de infeções diárias com 1.126 casos

  • Covid-19. Índia com recorde de 10 milhões de pessoas vacinadas num dia

    A Índia vacinou contra a covid-19 dez milhões de pessoas num só dia, número recorde, anunciaram as autoridades deste país asiático, que tenta evitar uma nova vaga anunciada da epidemia.

    Covid-19. Índia com recorde de 10 milhões de pessoas vacinadas num dia

  • Cerca de 32 mil pessoas foram vacinadas até às 11h30

    Cerca de 32 mil pessoas, a maioria jovens entre os 12 e os 17 anos, foram vacinadas até às 11h30 deste sábado, confirmou a task force para a vacinação.

  • África com mais 759 mortes e 33.385 novos casos

    África registou mais 759 mortes por Covid-19, totalizando 193.402 óbitos desde o início da pandemia, e 33.385 novos casos nas últimas 24 horas, segundo os dados oficiais mais recentes.

    De acordo com o boletim do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC) divulgado este sábado, o total acumulado de casos é de 7.692.398, enquanto o de recuperados é de 6.810.131, mais 34.118 nas últimas 24 horas.

    A África Austral continua a ser a região mais afetada, com um acumulado de 3.664.381 infetados e 101.364 mortes associadas à doença, desde o início da pandemia no continente. Nesta região, só a África do Sul, o país mais afetado pela pandemia no continente africano, já contabiliza 2.747.018 infetados e 81.187 mortos pela doença.

    O Norte de África, com 2.318.154 casos e 62.082 óbitos é a segunda região mais afetada no continente, com um total de 55 países.

    Já a África Oriental regista um total de 897.888 infeções e 18.664 mortos e a região da África Ocidental conta 594.361 casos e 8.092 óbitos.

    A África Central mantém-se como a região do continente com menos casos e mortes: 217.614 infetados e 3.200 óbitos.

    A seguir à África do Sul, o país mais afetado é a Tunísia, com 23.030 óbitos e 654.798 infetados, seguindo-se o Egito, com 16.706 mortos e 287.393 casos. Segue-se Marrocos, com 12.268 vítimas mortais e 843.357 casos de infeção, e a Argélia, com 5.148 óbitos e 194.186 infetados.

    Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Moçambique continua a ser o mais atingido pela Covid-19, registando 1.834 mortes e 145.199 casos, seguido de Angola, com 1.186 óbitos e um total de 46.929 pessoas infetadas.

    Cabo Verde regista 308 óbitos associadas à doença e 35.079 casos positivos, a Guiné Equatorial 123 óbitos e 9.173 casos, a Guiné-Bissau regista um total de 115 óbitos e 5.702 infetados. Já São Tomé e Príncipe mantém-se há algum tempo com 37 óbitos e regista 2.579 infeções no acumulado desde o início da pandemia.

  • Embaixada da China nos EUA denuncia "manipulação política"

    A Embaixada da China em Washington acusou os serviços de informações dos Estados Unidos de “manipulação política”, na sequência da publicação de um relatório sobre as origens da pandemia da Covid-19.

    “O relatório da comunidade das [agências de] informações norte-americanas mostrou que os Estados Unidos estão determinados em tomar o mau caminho da manipulação política”, declarou a representação diplomática chinesa, num comunicado divulgado na sexta-feira.

    O documento dos serviços secretos “baseia-se numa presunção de culpa da China e apenas para fazer da China um bode expiatório”, acrescentou.

    De acordo com um resumo publicado na sexta-feira, os serviços secretos norte-americanos concluíram que o novo coronavírus SARS-CoV-2 não tinha sido desenvolvido “como arma biológica” e “provavelmente” não tinha sido concebido “geneticamente”.

    Mas as diferentes agências indicaram continuar divididas entre a hipótese de um primeiro caso originado por uma exposição natural a um animal infetado, ou resultante de um acidente de laboratório.

    Em comunicado, o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou que “informações cruciais sobre a origem da pandemia existem na China, mas responsáveis governamentais procuram, desde o início, impedir os investigadores internacionais e os atores mundiais [na área] da saúde pública de aceder” a esses dados.

    Este relatório, considerado secreto, foi entregue esta semana a Biden, que tinha dado 90 dias aos serviços secretos para “redobrarem esforços” para explicarem a origem da pandemia.

  • Japão investiga morte de duas pessoas que tomaram vacina da Moderna. Lote já estava a ser analisado

    Duas pessoas com cerca de 30 anos morreram depois de tomarem a vacina da Moderna, avança o jornal espanhol El País. As duas pessoas em questão foram vacinadas com um de três lotes da vacina da Moderna que estão a ser investigados pelo Ministério da Saúde japonês por suspeitas de contaminação.

    Os jovens terão morrido poucos dias depois de receberem a segunda dose da vacina, de acordo com o departamento da saúde. A causa das duas mortes está agora sob investigação. “Até ao momento, não há evidências de que estas mortes se devam à vacina da Moderna”, referiram em comunicado a Moderna e a Takeda [parceira farmacêutica no Japão], acrescentando que “é importante realizar uma investigação formal para determinar se há alguma ligação”.

    A farmacêutica espanhola Rovi, um dos locais de produção da vacina da Moderna, está a investigar uma possível contaminação de três lotes desta vacina, depois de, na passada quinta-feira, o Ministério da Saúde do país ter ordenado, “como medida de precaução”, a suspensão de 1,63 doses desta vacina, após a descoberta de “materiais estranhos” no seu interior.

    Tanto o governo japonês como a Moderna explicaram, no comunicado de quinta-feira, que não foi detetado nenhum problema de segurança ou eficácia da vacina e que a suspensão foi apenas uma medida de precaução.

    “A Moderna acredita que o problema de fabrico ocorreu numa das suas linhas de produção em Espanha. Até agora, nenhum problema de segurança ou eficácia foi relatado. Em função do compromisso da empresa com a qualidade de seus produtos, um lote afetado e dois outros foram reservados”, acrescentou a empresa no comunicado enviado na quinta-feira, citado pelo El País.

1 de 2