Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Josep Borrell afirma que talibãs ganharam a guerra e agora há que falar com eles

    “Os talibãs ganharam a guerra, por isso temos de falar com eles”, afirmou o chefe da diplomacia europeia. Josep Borrell diz que tal não significa reconhecê-los mas sim proteger “mulheres e raparigas”.

    Josep Borrell afirma que talibãs ganharam a guerra e agora há que falar com eles

  • Afeganistão. Joe Biden e Boris Johnson chegaram a acordo para cimeira do G7 na próxima semana

    Joe Biden e Boris Johnson vão realizar uma cimeira virtual do G7 sobre o Afeganistão na próxima semana, onde vão discutir as operações de evacuação no país e a diplomacia com Cabul.

    Afeganistão. Joe Biden e Boris Johnson chegaram a acordo para cimeira do G7 na próxima semana

  • EUA disponíveis para manter presença diplomática em Cabul

    Os Estados Unidos estão prontos para manter presença diplomática em Cabul depois de 31 de agosto e afirmam que esperam que os talibãs respeitem os direitos dos seus cidadãos.

    EUA disponíveis para manter presença diplomática em Cabul

  • Resta apenas um bombeiro português em Cabul, "devidamente enquadrado para efeitos de evacuação"

    Há apenas um bombeiro português em Cabul, adiantou Santos Silva. Já saíram do Afeganistão dois funcionários do aeroporto e três portugueses integrados numa missão da NATO.

    Resta apenas um bombeiro português em Cabul, “devidamente enquadrado para efeitos de evacuação”

  • Santos Silva sobre possibilidade de receber afegãos: "Portugal participará no esforço para garantir proteção". É questão de "honra"

    Santos Silva diz ser uma “questão moral e de honra proteger a vida daqueles que colaboraram diretamente” na questão do Afeganistão, apesar de Portugal ter no país um contingente militar “escasso”.

    Santos Silva confirmou que Portugal colaborará na “necessidade de proteger pessoas que vejam a sua vida ameaçada”, podendo vir a receber refugiado afegão.

    Já antes, em entrevista ao Telejornal na RTP1, Augusto Santos Silva já tinha dito que Portugal ia receber refugiados afegãos nos “próximos dias ou semanas”.

  • Santos Silva traça linhas vermelhas: "Afeganistão não pode voltar a ser um santuário do terrorismo" e tem de respeitar direitos das mulheres

    Augusto Santos Silva frisa a ideia de que as “palavras dos talibãs têm de corresponder à prática”. “Vivemos num tempo de expectativa. […] É importante que as palavras do novo poder de facto em Cabul tenham sido esperançosas, mas conhecemos o movimento talibã. É esperar para ver.”

    Questionado sobre Portugal teria uma linha vermelha para aceitar o governo talibã, Santos Silva diz que o “Afeganistão não pode voltar a ser um santuário do terrorismo internacional dirigido aos cidadãos internacionais”. “A comunidade internacional não o toleraria”, frisa.

    Além disso, o ministro fez questão de sublinhar para poder haver “uma interação minimamente produtiva com as autoridades afegãs” é preciso que haja respeito pelos direitos das mulheres. Santos Silva afirmou que tem de haver continuidade da evolução positiva no que diz respeito “ao cumprimentos dos direitos humanos das meninas e mulheres”, que têm de continuar a ser “respeitadas, escolarizadas e a ter acesso a cuidados de saúde”.

    “Se o Afeganistão não quer ser um estádio pária, não quer estar vetado ao isolamento internacional, quer ter relações mínimas com a União Europeia e os países europeus, há requisitos relacionados com a segurança e os direitos humanos que têm de ser cumpridos”, vincou.

  • Santos Silva: Governo espera "para ver que novas autoridades vão ser constituídas" no Afeganistão

    O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, disse na Edição da Noite da SIC Notícias que o Governo português espera para ver que “novas autoridades vão ser constituídas e que novo governo vai ser constituído” no Afeganistão.

    Augusto Santos Silva espera ainda que as declarações na conferência de imprensa dos talibãs se concretizem: “Esperamos ver um governo com representantes das diferentes sensibilidades políticas”.

  • Popularidade de Joe Biden desce para o nível mais baixo desde o início do mandato

    Após a tomada de Cabul pelos talibã, a popularidade do presidente dos Estados Unidos desceu 7 pontos percentuais em três dias, segundo uma sondagem da Reuters/Ipsos que reúne as respostas de 947 norte-americanos.

    A sondagem realizada esta segunda-feira mostra que apenas 46% dos cidadãos inquiridos aprovam as ações do presidente, quando na sexta-feira eram 53%.

    A Reuters indica também que a taxa de aprovação do presidente é a mais baixa desde que tomou posse, em janeiro deste ano.

  • Vice-Presidente deposto do Afeganistão diz ser Presidente legítimo e promete luta contra talibãs

    O antigo chefe dos espiões do país, inimigo dos islamistas que tomaram o poder em Cabul, retirou-se para a última região ainda não controlada pelos talibãs: o Vale Panchir, a nordeste da capital.

    Vice-Presidente deposto do Afeganistão diz ser Presidente legítimo e promete luta contra talibãs

  • Câmara de Sintra disponível para receber refugiados afegãos

    A câmara de Sintra já comunicou com o governo a disponibilidade para receber até cinco famílias afegãs. “Eles terão a mesma proteção e direitos de qualquer munícipe de Sintra”, disse Basílio Horta.

    Câmara de Sintra disponível para receber refugiados afegãos

  • Ensaio. Os vinte anos norte-americanos no Afeganistão

    Nos EUA, a vontade de uma resposta avassaladora ao terrorismo deu lugar à fadiga de guerras intermináveis. No Afeganistão, o presidente Ghani nunca foi certo para o cargo. Ensaio de João Diogo Barbosa

    Ensaio. Os vinte anos norte-americanos no Afeganistão

  • Mullah Ghani Baradar, cofundador e número dois do movimento talibã, regressa ao país

    Esta é a primeira vez que um líder ativo dos talibãs regressa publicamente ao Afeganistão desde que o grupo foi destituído do poder, em 2001, pela coligação ocidental liderada pelos EUA.

    Mullah Ghani Baradar, cofundador e número dois do movimento talibã, regressa ao país

  • União Europeia decide retirada de civis e diplomatas do Afeganistão

    União Europeia decide retirada de civis e diplomatas do Afeganistão — pelo menos 400 pessoas — pois “a situação no terreno está a desenrolar-se rápido e a tornar-se perigosa”, disse Josep Borrell.

    União Europeia decide retirada de civis e diplomatas do Afeganistão

  • Mulher jornalista de cara destapada faz perguntas a porta-voz dos talibãs

    No decorrer da conferência de imprensa dos talibãs, uma jornalista de cara destapada fez perguntas ao porta-voz do grupo islâmico. A jornalista inquriu-o sobre o facto das mulheres no Afeganistão poderem continuar a trabalhar na comunicação social no país.

    Segundo as várias leis da Sharia, tal interação não é permitida entre um homem e uma mulher, salvo a exceção destes serem familiares.

    O porta-voz dos talibãs respondeu que ainda teriam que aguardar até uma tomada de posição oficial por parte do novo governo de Cabul, mas apontou que todas as pessoas poderiam trabalhar, desde que tal estivesse devidamente enquadrado com as leis da Sharia.

  • Canadá não vai reconhecer governo talibã: "Tomaram o poder pela força"

    O primeiro-ministro canadiano anunciou hoje que não vai reconhecer o governo talibã no Afeganistão, noticia a Reuters.

    “O Canadá não tem planos para reconhecer o governo afegão”, indicou Justin Trudeau, sinalizando que os talibãs “tomaram o poder e substituíram um governo democrático pela força”.

  • Discurso de Joe Biden indigna afegãos

    O discurso do Presidente dos EUA — em que o presidente defendeu a decisão de retirar as tropas — foi recebido com indignação por políticos, jornalistas e ex-membros do governo deposto no Afeganistão.

    Discurso de Joe Biden indigna afegãos

  • Cuidados intensivos de hospital em Cabul sobrelotados há três dias, denuncia ONG italiana

    “Neste momento, só admitimos pacientes em condições muito críticas, que apresentem um verdadeiro estado de ‘choque’ e com ferimentos potencialmente mortais”, afirma o coordenador-médico desta unidade.

    Cuidados intensivos de hospital em Cabul sobrelotados há três dias, denuncia ONG italiana

  • Talibãs: "Perdoámos todos pelo benefício da estabilidade e da paz no Afeganistão"

    Os talibãs anunciaram que “vão perdoar todos” os afegãos pelo “benefício da paz e e da estabilidade no Afeganistão”. “Os nossos combatentes, as nossas pessoas, nós vamos todos garantir que podemos incluir todas os lados e fações.”

    “Depois da formação do governo, tudo ficará mais claro”, disse Zabihullah Mujahid em conferência de imprensa, acrescentando que talibãs estão a trabalhar para decidir que leis “é que serão apresentadas à nação”.

    “Estamos a trabalhar seriamente em formar o governo”, frisaram.

  • Talibãs asseguram a comunidade internacional que "solo afegão" não será usado pela Al-Qaeda

    Os talibãs rejeitaram que o Afeganistão possa vir a ser usado para receber extremistas da Al-Qaeda.

    “O solo afegão não será usado contra ninguém”, garantiu Zabuhullah Mujahid, assegurando a comunidade internacional que tal não vai acontecer.

1 de 3