Logo Observador
Festival Eurovisão da Canção

O campeão voltou: Salvador chegou a Lisboa e quer “cantar por aí”

679

À chegada ao aeroporto, o vencedor da Eurovisão tinha um mar de fãs à sua espera com cartazes, flores e camisolas do Benfica. Para ele, o herói é Cristiano Ronaldo. Para os fãs, é Salvador Sobral.

Salvador Sobral chegou esta tarde ao Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, num avião da TAP.

AFP/Getty Images

Quer “cantar por aí e ser feliz a tocar”. O objetivo de Salvador Sobral pode tornar-se uma tarefa difícil de cumprir. É que “cantar por aí” começa a implicar uma multidão de fãs em histeria atrás dele. O vencedor da Eurovisão teve uma amostra daquilo que poderá ser o seu futuro imediato, nesta tarde de domingo à chegada a Lisboa. O Aeroporto da Portela encheu-se de fãs com cartazes, flores, bandeiras de Portugal e camisolas do Benfica.

Por volta das 14h30 já muitas dezenas de pessoas e jornalistas nacionais e internacionais se concentravam no aeroporto, na incerteza da hora da chegada do vencedor mas todos com o mesmo objetivo.

Vários jornalistas nacionais e internacionais concentraram-se em frente à porta das chegadas do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

Entre muitas, Ana Benavente, natural de Lisboa. A mais de uma hora da chegada de Salvador Sobral, Ana já estava equipada com uma bandeira de Portugal e uma camisola do Benfica.

Fui uma das pessoas que sempre acreditou nele desde o principio, embora houvesse muita gente a gozar. Não sei muito bem o que é, mas sinto um amor muito especial por ele. Não podia deixar de estar aqui. Tenho muito orgulho pelo país, pelo Benfica, pelo Salvador. Acho que ele mereceu”, disse Ana Benavente, no aeroporto.

Em pouco tempo, as dezenas de pessoas passaram a centenas. Os passageiros que entretanto chegavam eram recebidos com um coro de fãs que gritava: “Salvador! Salvador! Salvador!”, seguido de um som de desilusão. Cartazes a postos e braços esticados com flores nas mãos. Cantava-se o hino intercalado com a música de Salvador Sobral. Por orgulho ou para passar o tempo.

Veio de Roma, onde fez escala, num avião da TAP. Lá fora a multidão assumia a postura de quem estava à espera de um herói. À saída do avião, em declarações à RTP, dizia que não era bem assim, como, aliás, já tinha dito ontem, após a final da Eurovisão:

Esse papel [de herói] é do Cristiano Ronaldo e prefiro que continue a ser. Atenção, o que gosto de fazer é cantar… música. Fui simplesmente fazer o que gosto. Fui numa missão musical, fazer música de qualidade para o festival e foi essa a missão que assumi. Não me sinto nenhum herói” esclareceu à estação televisiva

Continuava a chegar gente ao aeroporto já Salvador estava com a irmã, Luísa Sobral, na conferência de imprensa. Na atuação de consagração, após a vitória na final do Eurovisão deste domingo, o português chamou a irmã. E esta tarde, o reconhecimento continuou:

É um grande passo. Ela [Luísa Sobral] recebeu um prémio de melhor compositora e eu um prémio de melhor artista por parte dos outros países” disse em conferência de imprensa.

A vitória foi tanto para Salvador Sobral como para a irmã Luísa Sobral, quem compôs a música (Foto de: Patricia de Melo/AFP/Getty Images)

Foi a própria Luísa Sobral quem compôs a música “Amar Pelos Dois”. O prémio que vai para casa dos pais de ambos, foi compartilhado pelos dois. Apesar de lhe dizerem que “fazia sentido cantar em inglês”, a irmã de Salvador optou por escrever o tema na sua língua materna. “O meu irmão cantou em português mas sentia o que estava a cantar”, concluiu na mesma conferência de imprensa.

Pessoas na Europa inteira votaram e não percebiam nada do que eu estava a cantar. Eu podia estar ali a dizer ‘vão-se todos lixar’ ou ‘a Europa não presta’ que ninguém perceberia”, refletiu o cantor.

Salvador Sobral não conseguiu esconder o cansaço mas continuou a responder às perguntas. Sobre a importância do significado das canções: “O que eu tenho de fazer é continuar a fazer a minha música e tentar fazer música que tenha algum significado”, disse o vencedor. Na verdade, admitiu, a sua música preferida era a italiana mesmo por isso. “Achei interessante a crítica que a música fazia, eu gostei do poder da letra”, comentou.

O cantor saiu do aeroporto rodeado de vários seguranças que o levaram até ao carro. (Foto de Patricia de Melo/AFP/Getty Images)

Cá fora, ainda antes de aterrar, Ana Margarida Esteves partilhava da mesma opinião. Socióloga de profissão, estava ali para receber não Salvador ou “o rapaz vestido de negro, com a sua simplicidade no meio daquilo tudo”, como lhe chama, mas a agente, do cantor, Ana Lúcia Paulo.

Espero que seja o fim do início da música enlatada e o encontro com aquilo que há de mais autêntico no continente europeu. Parece que está a vir das margens e não do centro. Pelo menos desta vez valeu a pena aguentar a tortura de passar pelas outras canções. Qual delas a mais enlatada e vazia de conteúdo? O objetivo [da Eurovisão] era promover o encontro das culturas da Europa”, comentou Ana Margarida Esteves.

Salvador Sobral espera que a sua vitória seja “um grande passo para que as rádios comecem a mudar um bocado o tipo de música que passam”, comentou ainda o vencedor do Eurovisão na conferência desta tarde.

Seja qual for o significado da sua música, o significado da vitória é um: o Festival da Eurovisão de 2018 realiza-se em Portugal. Salvador Sobral reconheceu essa importância, dizendo que “vai ser bom para a cultura e também para o turismo”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt