Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A pequena freguesia de Pitões das Júnias, em Montalegre, recupera este fim de semana a tradição de contar histórias. Até domingo, a primeira edição do “Fiadeiro de Contos” vai ter seis contadores de histórias de serviço a animar os serões da aldeia. Concentrados no largo do Eiró e no forno do povo, onde ainda se coze o pão, os seis contadores de histórias querem reavivar um hábito que se foi perdendo ao longo dos anos, em que à noite as pessoas se juntavam para contar histórias.

O “I Fiadeiro de Contos nasce para “promover a convivência entre os habitantes num encontro de três dias, com contadores de histórias de vários pontos do país e um contador galego”, pode ler-se na página da Junta de Freguesia de Pitões das Júnias. Os serões familiares onde também se reuniam amigos e vizinhos eram o palco privilegiado para os mais velhos contarem histórias que os próprios já tinham ouvido dos seus pais e avós, transmitindo desta forma a herança da identidade de uma comunidade e região.

O passa palavra das histórias, na forma de fábulas, mitos ou até baseadas em acontecimentos reais, “eram peça fulcral na educação e na fixação das pessoas nas suas localidades e no aumento da sua autoestima”, escreve-se na mesma página.

contos

Programa do “Fiadeiro de Contos”

O evento conta com o apoio da Câmara de Montalegre, Ecomuseu do Barroso, Associação para o Desenvolvimento da Região do Alto Tâmega (ADRAT), Direção Regional da Cultura do Norte (DRCN) e Embaixada de Espanha.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR