Os novos iPhone, apresentados ao público a 9 de setembro, já bateram recordes. A Apple registou num novo máximo de encomendas pré-venda nas 24 horas após ter colocado os modelos disponíveis online, a 12 de setembro: mais de quatro milhões, diz a Bloomberg Business Week.

Dentro de sete a dez dias, os fãs do iPhone 6 recebem o novo smartphone em casa, segundo o site oficial da marca. Quem optou por encomendar o iPhone 6+ terá de esperar cerca de três a quatro semanas, mas a marca não revelou qual foi o modelo que registou maior nível de popularidade.

A adesão é um sinal do “enorme interesse” que os smartphones de maior dimensão – o ecrã do iPhone 6 tem 4,7 polegadas e o do iPhone 6+ tem 5,5 polegadas – têm suscitado nos consumidores, tendo em conta a popularidade crescente dos modelos da rival Samsung. Mas Tim Cook, sucessor de Steve Jobs na liderança da Apple, já referiu em entrevista à Bloomberg, que a aposta dos novos iPhone não era uma resposta à Samsung e que a tecnologia que utilizavam no ecrã e na bateria tinha avançado nos últimos anos.

Para Tim Cook, é muito provável que os utilizadores de smartphones de outra marca mudem agora para a Apple. A justificação prende-se com algo que, segundo o líder, só a Apple é capaz de fazer: o talento de integrar hardware, software e serviços num só equipamento.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No próximo fim de semana, os novos iPhone chegam às lojas. No ano passado, foram vendidos cerca de nove milhões de iPhones 5S e 5C nos dias de abertura e as expectativas para este ano é que os números batam novo recorde.