O “Diáspora – Festival Literário de Belmonte”, que se realiza entre os dias 07 e 09 de novembro para “levar a cultura literária a toda a população”, contará com a presença de 20 autores”, anunciaram esta quinta-feira os organizadores.

O festival é promovido pela Câmara Municipal de Belmonte em parceria com uma empresa de consultores editoriais e terá uma componente dirigida ao público em geral e outra mais direcionada para a comunidade escolar, explicou à agência Lusa a vice-presidente da autarquia, Sofia Fernandes.

“Este evento pretende levar a cultura literária a toda a população e também incentivar o gosto pela leitura, designadamente junto dos mais jovens, pelo que teremos ações nas quais o público em geral será convidado a participar e outras que serão realizadas no meio escolar”, referiu.

A autarca sublinhou ainda o “caráter informal” das conferências, nas quais se pretende que o público “interaja e converse com os autores convidados” de forma a contrariar a ideia de que estes eventos “são maçudos e destinados apenas a alguns”, acrescentou.

“Os escritores também estarão disponíveis para falar com os leitores, para assinar livros e inclusivamente para terem ‘dois dedos de conversa’, seja durante as conferências, seja enquanto andam pelas ruas da vila”, detalhou Paulo Ferreira, que integra a equipa da promoção do festival.

Entre os escritores já confirmados estão Francisco José Viegas, Isabel Stilwell, Júlio Magalhães ou Deana Barroqueiro, entre outros nomes “consagrados e muito conhecidos do grande público”, que deverão contribuir para “despertar a curiosidade das pessoas” e garantir “maior sucesso” à iniciativa.

Com a denominação de “Diáspora”- termo que pretende fazer a ligação ao património existente em Belmonte e ao facto de Pedro Alvares Cabral aí ter nascido – o festival terá um conjunto de cinco conferências, cinco mesas redondas/debate e uma conferência de encerramento, para além das sessões nas escolas.

O espetáculo “Trovas & Canções” de Ruy de Carvalho, que pretendia recordar alguns dos poemas que tornaram famosas várias canções portuguesas, de Pedro Homem de Mello a José Luís Gordo, sem esquecer Zeca Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Moniz Pereira e Manuel Alegre, foi cancelado, informou a organização.

Este evento está orçamentado em 17.500 euros, mais despesas de divulgação e logística igualmente garantidas pelo município.