O “Google Cultural lnstitute” apresenta mais 192 trabalhos de arte urbana portuguesa, inseridos no “Art Project”, a que se juntam a outros 10 mil trabalhos de ruas de todo o mundo.

De acordo com um comunicado da empresa, o projeto Art Project, inserido no Instituto Cultural do Google, tem trabalhos de arte urbana de mais de 85 parceiros em 34 países.

E através de novas plataformas a arte portuguesa (e de outros países) vai estar disponível não só “online” mas também na televisão, relógios e telemóveis (se os respetivos aparelhos o permitirem), diz-se no comunicado.

Em junho do ano passado o Google Cultural Institute, um arquivo na internet de exposições e coleções de todo o mundo, já tinha lançado a coleção de arte urbana portuguesa, que é agora ampliada. Em termos globais, desde essa altura, a coleção tem o dobro do número de trabalhos (tinha cinco mil).

No arquivo, com fotografias de alta resolução, os utilizadores da internet podem “viajar” entre o festival de arte urbana da Suécia até às pinturas em casas de um bairro pobre de Buenos Aires, ou entre murais de Los Angeles, nos Estados Unidos, e de Portugal, incluindo o trabalho “Olhos de Coruja”, considerado um dos 25 melhores de 2014 em todo o mundo.

O acervo de trabalhos de rua tem a partir de hoje mais 90 coleções e de Portugal os novos parceiros (as plataformas de promoção Wool e Urban Creativity) disponibilizaram 192 trabalhos de diferentes cidades nacionais, explicita o comunicado.

A partir de hoje será possível por exemplo, para quem tem a tecnologia apropriada, escolher entre 250 trabalhos de arte urbana para colorir o fundo das televisões, para ser usado no “desktop” do computador ou para aparecer como fundo dos “relógios inteligentes”.

O “Street Art Project” tem mais de 3.500 artistas representados e entre os mais de 10 mil trabalhos há imagens de alta resolução (nove ´gigapixels´). Mas há também visitas virtuais e imagens em “gif”.

O “Street Art Project” tem como um dos objetivos conservar digitalmente expressões artísticas que acabam por desaparecer nas cidades de todo o mundo.

Em janeiro passado a empresa Google também passou a disponibilizar em Portugal a funcionalidade “Indoor Maps”, que permite ver mapas interiores detalhados, e encontrar pontos de interesse no interior de instalações e obter informação útil.

Permite por exemplo “entrar” em estações de transportes públicos, museus, universidades, centros comerciais, palácios e outros espaços.

Para conhecer o percurso das obras portuguesas e estrangeiras, consulte o mapa aqui.