Exposições

Museu Vieira da Silva inaugura exposição e celebra 25 anos da fundação

"A Linha do Espaço", a nova exposição do Museu Vieira da Silva, reúne obras de Maria Helena Vieira da Silva, de Arpad Szenes e de artistas seus contemporâneos.

O museu celebra este ano 25 anos

Manuel Almeida/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Uma exposição com obras de Maria Helena Vieira da Silva, de Arpad Szenes e de artistas seus contemporâneos é inaugurada esta quinta-feira, no museu dedicado à obra da artista portuguesa, em Lisboa, cuja fundação instaladora foi criada em 1990.

De acordo com a entidade, a inauguração será precedida, às 19h por uma cerimónia de comemoração dos 25 anos da Fundação Arpad Szenes — Vieira da Silva (FASVS), com a presença do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, que agracia a instituição com o título de Membro Honorário da Ordem do Infante D. Henrique.

“A Linha do Espaço” é o título da exposição que a Fundação Arpad Szenes — Vieira da Silva (FASVS) inaugura, em colaboração com a galeria parisiense Jaeger Bucher/Jeanne-Bucher, pioneira da divulgação dos principais artistas abstratos da década de 1950. De acordo com a Fundação, a exposição organizada com aquela galeria, em Paris – que representa o trabalho de Maria Helena Vieira da Silva desde 1933 -, será a terceira do programa que assinala o 20.º aniversário do Museu, em Lisboa.

Poderão ser vistas 56 obras de Vieira da Silva, 23 obras do marido, o artista Arpad Szenes, e 13 obras de outros artistas como Paul Klee, Jean Dubuffet, Jean Arp, Zao Wou-Ki, Roger Bissière, Etienne Hajdu, Hans Reichel, Germaine Richier, Mark Tobey e Joaquín Torres-García.

Serão apresentadas obras de Vieira da Silva (1908-1992) e de Arpad Szenes (1897-1985), reveladoras da essência das suas pesquisas plásticas, que raramente têm sido exibidas em Portugal. Em simultâneo, será exposto um conjunto de obras de vários artistas contemporâneos do casal, muitas delas apresentadas pela primeira vez em Portugal, segundo a FASVS.

Além da galeria Bucher, as obras são provenientes da galeria Louis Carré e do Centre Georges Pompidou, também em Paris, do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian e do Museu Coleção Berardo, em Lisboa.

Criada ainda em vida de Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992), uma das mais importantes pintoras portuguesas, e instituída por decreto-lei em 10 de maio de 1990, a FASVS tem como missão garantir a existência de um espaço, em Portugal, onde o público possa contactar permanentemente com a obra dos dois pintores.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Liberdades

O medo da liberdade /premium

Paulo Tunhas

O que esta nova esquerda busca não se reduz ao desenvolvimento de um Estado tutelar. É algo que visa a perfeita eliminação da sociedade como realidade distinta do Estado. Basta ouvir Catarina Martins.

25 de Abril

Princípio da União de Interesses

Vicente Ferreira da Silva

O nosso sistema de governo promove desigualdades entre os cidadãos, elimina a responsabilidade dos titulares de cargos públicos e limita as liberdades, os deveres e os direitos fundamentais.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)