A Unicer anunciou que vai proceder ao ajustamento da sua estrutura, devido à retração de alguns mercados, sobretudo o angolano, o que implica o encerramento da unidade de produção de refrigerantes em Santarém e a dispensa dos seus 70 trabalhadores.

O reajustamento levará também à saída de mais 70 pessoas da estrutura da empresa, dona da Super Bock, Vitalis e Pedras Salgadas, num total de 140 trabalhadores, valor que poderá ser reduzido para 105 com as soluções encontradas para 35 funcionários. Os outros 70 postos de trabalho devem ser eliminados em Leça do Balio, devido ao “reajustamento da capacidade produtiva global e da estrutura de suporte ao negócio”.

O Sindicato das Indústrias de Alimentação e Bebidas (SINTAB) tem uma reunião marcada com o presidente da Câmara de Santarém para esta terça-feira de manhã, a quem pretende pedir a tomada de medidas para impedir o encerramento da fábrica e o consequente despedimento coletivo.

O sindicato solicitou na sexta-feira uma reunião ao ministro da Economia para lhe pedir que trave o encerramento da Unicer de Santarém, que recebeu 7 milhões de euros de apoios no âmbito do último quadro comunitário. O Sintab é um dos promotores do plenário desta terça-feira em Leça do Balio e do que se realiza quarta-feira em Santarém para ver “qual é a sensibilidade dos trabalhadores” e “a situação particular de cada um”.