O aniversário é de Dylan mas a prenda é para todos. A Cinemateca Portuguesa apresenta uma retrospetiva para que recordemos como o mais importante músicos que a cultura popular deu ao mundo entre os séculos XX e XXI está presente no cinema. O título do ciclo é “O Outro Lado de Bob Dylan”, propositadamente inspirado pelo quarto álbum do músico, lançado em 1964. Tudo a propósito dos 75 anos de Dylan e do legado que tem vindo a deixar, que não se fica “apenas” pela música e pelos escritos. Já agora: o dia de aniversário é 24 de maio.

[excerto de “Don’t Look Back”, de 1967]

A Cinemateca divide o programa em duas partes. A primeira inclui os seguintes títulos: “Don’t Look Back”, de D.A. Pennebaker, “Festival”, de Murray Lerner (1967), “Eat the Document” e “Renaldo and Clara”, assinados por Dylan em 1972 e 1978, “Pat Garrett and Billy the Kid”, realizado por Sam Peckinpah (1973), “The Last Waltz” e “No Direction Home”, de Scorsese (1978 e 2006, o primeiro com o último concerto dos The Band, o segundo sobre as desventuras de meados de 60 de Dylan), “Hearts of Fire”, de Richard Marquand (1987), “Masked and Anonymous”, de Larry Charles (2003), mas também “I’m Not There”, de Todd Haynes (2007, com diferentes atores na pele de Dylan) e “Inside Llewin Davis”, dos Coen (2013, inspirado pela cena folk da Nova Iorque de inícios de 60 e os respetivos heróis).

Na segunda, cabem, por exemplo, “Easy Rider”, de Dennis Hopper (1969), “Fim de Semana Alucinante”, de John Boorman, com Jon Voight, Burt Reynolds, Ned Beatty, Ronny Cox (1972), “Os Marginais”, de Coppola e “O Último Fôlego”, de Jim McBride (1983), “Histórias de Nova Iorque”, de Scorsese (1989), “Mentes Perigosas”, de John N Smith (1995), “Hurricane”, de Norman Jewison (1999, título e história tal e qual encontramos na canção de Bob), “Wonder Boys”, de Curtis Hanson (2000, deu o Óscar de MNelhor canção a Dylan, por Things Have Changed), “The Dreamers”, de Bertolucci (2003), “North Country”, de Nikki Caro (2005), “A Senhora das Águas”, de Shyamalan (2006) e “St Vincent”, de Theodore Melfi (2014).

[Vídeo de “Things Have Changed”, do filme “Wonder Boys”]