Depois de Thor, agora também o Iron Man vai ser encarnado por uma mulher nas páginas dos livros de banda desenhada da Marvel. A personagem que vai substituir o excêntrico milionário Tony Stark é Riri Williams, uma jovem negra de 15 anos. Críticas emergiram nas redes sociais, não por haver diversificação nas personagens dos super-heróis, mas porque essa diversidade não se reflete na equipa de escritores do gigante da banda desenhada.

Riri Williams é um prodígio científico, que com apenas 15 anos entrou no MIT e construiu um fato em tudo similar aos de Tony Stark. O milionário descobre esta jovem e assim começa o enredo do “Invincible Iron Man”. “Ela é capaz de ser melhor do que ele. Ela olha para as coisas de uma forma única e isso reflete-se na armadura que ela constrói”, indicou Brian Michael Bendis, que escreve os enredos destes livros de banda desenhada, à Time.

Apesar de a Marvel estar preparada para críticas de alguns dos seus leitores mais leais devido a esta mudança – e depois de ter havido alguns comentários racistas sobre esta escolha -, uma parte da reação no Twitter foi contra a própria equipa da Marvel, por promoverem algo nos seus livros que não promovem na sua empresa, já que não há nenhuma mulher negra na equipa que escreve as histórias destes livros.