Literatura

Juan Gabriel Vásquez vence Prémio Literário Casino da Póvoa

O escritor colombiano, autor de "A forma das ruínas", é o vencedor do Prémio Literário Casino da Póvoa. O anúncio foi feito durante a manhã, no Correntes d'Escritas, na Póvoa de Varzim.

Juan Gabriel Vásquez deverá estar presente no festival literário da Póvoa de Varzim no sábado para receber o prémio

AFP/Getty Images

O romance A forma das ruínas, do columbiano Juan Gabriel Vásquez, é a obra vencedora do Prémio Literário Casino da Póvoa de 2018, o mais importante atribuído durante o Correntes d’Escritas. A decisão foi tomada por maioria de três votos contra dois, atribuídos ao livro Escola de Náufragos, do português Jaime Rocha, e anunciada durante a manhã desta quarta-feira, na sessão de abertura do festival literário da Póvoa de Varzim, que contou com a presença do ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes

Na declaração de voto, os membros do júri (composto por Fernando Pinto de Amaral, Javier Rioyo, José Mário Silva, Maria de Lurdes Sampaio e Teresa Martins Marques) que votaram a favor de A forma das ruínas, explicaram que a sua escolha recaiu sobre a obra de Juan Gabriel Vásquez devido ao seu “extraordinário fôlego narrativo e pelo notável retrato da história da Colômbia do século XX, fruto de uma vasta investigação pessoal e literária“. “A partir dos homicídios políticos que permanecem como feridas na memória coletiva, Juan Gabriel Vásquez criou uma ambiciosa e muito bem conseguida arquitectura romanesca. Além da criação de grandes, contraditórios e fascinantes personagens, o romance destaca-se pelo modo como fala do nosso tempo. Do tempo como labirinto.”

Um prodígio de narrativa que torna universal uma história simultaneamente pesada e presente”, referiram ainda os jurados.

A forma das ruínas, editado em Portugal pela Alfaguara, conta a história de Carlos Carballo, detido por tentar roubar de um museu o traje de Jorge Eleiécer Gaitán, líder político assassinado em Bogotá, em 1948, em plena guerra do Estado colombiano com os narcotraficantes. Um homem atormentado, Carballo tenta encontrar os sinais “que lhe permitam destrinçar os mistérios de um passado pelo qual está obcecado”. “No entanto, ninguém, nem as pessoas que lhe são mais próximas, suspeita das verdadeiras razões da sua obsessão”, refere a sinopse da obra.

Juan Gabriel Vásquez nasceu em 1973, na cidade de Bogotá, na Colômbia, e desde 1999 que vive em Barcelona. Autor da coleção de contos Los Amantes de Todos los Santos, da compilação de ensaios El arte de la distorción e dos romances Los InformantesHistoria secreta de Costaguana e O barulho das coisas ao cair, publicado pela Alfaguara em 2012, tem sido também responsável pela tradução de obras de autores como Victor Hugo e E. M. Forster. Entre os vários galardões que recebeu, contam-se o Prémio Alfaguara, em 2011, o Prémio Impac Dublin, em 2014, e o Prémio da Real Academia Espanhola, também em 2014. Em 2016, foi distinguido com o Prémio Literário Casa América Latina.

O Prémio Literário Casino da Póvoa destina-se a premiar anualmente uma obra editada em Portugal e escrita por um autor de língua portuguesa ou castelhana/hispânica. Em 2017, o prémio — no valor de 20 mil euros — foi atribuído à obra A Sombra do Mar, do poeta Armando Silva Carvalho. O galardão é entregue nos anos pares a uma novela ou romance e nos anos ímpares a poesia. Por essa razão, este ano, o prémio literário foi parar às mãos de um autor de um livro em prosa.

Escola de Gaula, na Madeira, distinguida com Prémio Correntes d’Escritas Porto Editora

O Prémio Conto Infantil Ilustrado Correntes d’Escritas Porto Editora — que se destina, como o próprio nome indica, a um conto infantil ilustrado inédito escrito por um aluno que frequente o 4.º ano de escolaridade — foi atribuído a “O Advento na Achada”, da autoria dos alunos do 4.ºA da Escola do Primeiro Ciclo com Pré-Escolar Dr. Clemente Tavares, de Gaula, na ilha da Madeira, informou o grupo editorial em comunicado.

Os segundo e terceiro lugares do prémio, que vai na nona edição, foram atribuídos a duas turmas da Escola Básica José Manuel Durão Barroso, de Armamar: à turma 4.ºA, pelo conto “A Mochila Esquecida” e à turma 3.ºB e ao 4.º ano, com “Onde a LUZ se esconde”. A Porto Editora atribuiu ainda uma menção honrosa, aos alunos do 4.º ano da Escola Portuguesa de Moçambique – Centro de Ensino e Língua Portuguesa.

O Correntes d’Escritas, que começou na terça-feira, decorre até 24 de fevereiro, sábado. Juan Gabriel Vásquez deverá estar presente neste último dia do festival para receber o Prémio Literário Casino da Póvoa. Os Prémios Porto Editora serão entregues na mesma data, durante a sessão de encerramento do festival literário, na sala principal do Cine-Teatro Garrett. O evento está marcado para as 18h30.

Artigo atualizado às 12h19 com os vencedores do Prémio Correntes d’Escritas Porto Editora

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt
Crónica

Portugal, um país à prova de fake news /premium

José Diogo Quintela
105

Porra Vasily! Então, mas o que é que andas a fazer, pá? Portugal não necessita dos nossos trolls, nem das nossas fake news. Os partidos tradicionais encarregam-se de escangalhar a imagem da democracia

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)