Rádio Observador

Cinema

Já se sabe quem vai fazer de David Bowie no filme “Stardust”

182

Johnny Flynn, ator e líder do grupo musical Johnny Flynn & The Sussex Wit, foi o escolhido para ser o protagonista do filme sobre David Bowie e as origens do seu alter-ego Ziggy Stardust.

Referência incontornável da música popular, Bowie morreu em janeiro de 2016, com 69 anos

AFP/Getty Images

Depois do estrondoso sucesso de “Bohemian Rhapsody”, filme que retrata o percurso de Freddie Mercury e da banda Queen até ao mítico concerto Live Aid de 1985, vem aí mais um filme inspirado na vida de uma das maiores referências da música. O filme vai chamar-se “Stardust” e irá “explorar a primeira viagem de David Bowie aos Estados Unidos da América no início dos anos 1970 e as origens da personagem Ziggy Stardust“, o mais conhecido e duradouro alter-ego do músico inglês, relata a revista Pitchfork. A revista digital Deadline e a Screen International avançam que o escolhido para protagonizar o filme e interpretar o papel de “camaleão da pop” é o músico e ator Johnny Flynn, de 35 anos.

Johnny Flynn na estreia oficial em sala da série “Genius”, que decorreu num anfiteatro em Los Angeles, na Califórnia, há dois anos (@ Tommaso Boddi/Getty Images for National Geographic)

Johnny Flynn é mais conhecido pela sua carreira musical, que dura há mais de uma década e já originou a gravação e edição de um EP e sete álbuns (dois dos quais ao vivo), do que pela sua carreira de ator. O músico, cantor e líder do grupo Johnny Flynn & The Sussex Wit já participou, no entanto, em peças de teatro, em filmes e em séries como “Genius” (na qual interpreta o papel de um jovem Albert Einstein) e “Lovesick”.

Flynn nasceu em Joanesburgo, em 1983, filho de Caroline Forbes e de um conhecido ator e cantor inglês, Eric Flynn. Porém, cresceu no Reino Unido, para onde a família se mudou quando Johnny tinha apenas dois anos. Multi-instrumentista, sabe tocar violino, trompete e guitarra, tendo estudado música mas também representação na Academia de Arte Dramática Webber Douglas, em Londres.

Além de Johnny Flynn, o elenco deverá contar com Marc Maron (comediante, ator e autor de podcasts populares de entrevistas, com passagens pelo “Late Show With David Letterman” e pela série “Glow”, entre outros trabalhos) e Jena Malone, atriz que interpretou a personagem Johanna Mason nos filmes “The Hunger Games: Os Jogos da Fome”. Malone deverá fazer de Angie, a primeira mulher de David Bowie, enquanto Marc Maron interpretará um executivo da indústria que trabalha para a editora de Bowie e o acompanha na sua primeira viagem aos EUA.

O argumento do filme será da autoria do pouco conhecido Cristopher Bell e a realização ficará a cargo de Gabriel Range (cineasta de “Eu, Escrava”). A produção do filme deverá começar já este verão.

A atriz Jena Malone fará de Angie, a primeira mulher do músico de Brixton (@ Matt Winkelmeyer/Getty Images for SBIFF)

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: gcorreia@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)