O rapper Nipsey Hussle morreu na sequência de um tiroteio na tarde deste domingo, na zona de Slauson Avenue e Crenshaw Boulevard, em Los Angeles, nos Estados Unidos, em frente a uma loja de roupa, “Marathon Clothing”, da qual era proprietário. Do tiroteio outras duas pessoas ficaram feridas, sendo que uma delas acabou por morrer devido aos ferimentos, de acordo as declarações do responsável pela polícia local, Chris Ramirez, ao The Washington Post. O outro ferido está, de acordo com as mesmas declarações, em condições estáveis.

Ainda há poucos detalhes sobre o acontecimento, mas segundo o Los Angeles Time, uma fonte da polícia avançou que Hussle foi baleado por um jovem que abriu fogo a curta distância e depois correu para um carro e fugiu. A fonte acrescentou também, com base nas informações obtidas até à data, que o tiroteio provavelmente foi planeado por gangues.

Entretanto, a polícia já tem algumas informações sobre o suspeito responsável pelo tiroteio e estão neste momento a investigar o caso de forma a localizá-lo, bem como outros indivíduos que possam estar envolvidos. Alertaram também, no mesmo tweet, para a probabilidade de algumas ruas na zona de Slauson Avenue e Crenshaw Boulevard ficarem fechadas por algumas horas e que tal poderá levar ao aumento do trânsito.

https://www.youtube.com/watch?v=WJm–E3igY0

O presidente da câmara de Los Angeles, Eric Garcetti, não demorou a reagir à notícia, utilizando a rede social Twitter para deixar as suas condolências à família. “Os nossos corações estão com os ente queridos de Nipsey Hussle e com as de todos que foram afetados por esta tragédia. L.A é profundamente magoada sempre que uma vida jovem é perdida pela violência armada sem sentido”:

Há dez horas, escreveu no Twitter: “Ter inimigos fortes é uma bênção”

A última publicação do jovem rapper norte-americano foi colocada no Twitter há apenas dez horas. Aí, Nipsey Hussle escrevera: “Ter inimigos fortes é uma bênção”.

A internet já começou a prestar homenagens ao jovem rapper, desde fãs a nomes bem conhecidos na indústria da música, como foi o caso de Rihanna, mas também Pharrell Williams e o rapper J. Cole. O último, por exemplo, escreveu: “Nipsey, eras umas lenda. Respeito e admiro as tuas escolhas de carreira e o que fizeste pelos bairros. Hoje o meu coração ficou partido ao ver as notícias. Estou a rezar pelos teus entes queridos”.

Colin Kaepernick, antiga estrela de futebol americano que se tornou ainda mais conhecido após envolver-se numa forte disputa com a NFL (o campeonato de futebol americano nos EUA), decorrente de ter começado a sentar-se, primeiro, e ajoelhar-se, depois, ao ouvir o hino norte-americano — fê-lo em protesto contra a segregação racial que ainda sente no país — também já comentou a morte do jovem rapper, publicando um vídeo de Nipsey Hussle e deixando-lhe palavras de homenagem:

Nas: “É perigoso ser um MC, ter dinheiro, ser um homem negro”

Quem também escreveu um texto de homenagem a Nipsey Nussle foi o rapper Nas, isto é, Nasir Jones, uma das figuras com maior prestígio e longevidade na história do rap norte-americano. O autor do álbum Illmatic escreveu: “Tivemos uma grande perda hoje. Indo diretamente ao ponto: “é perigoso ser um MC. (…) É perigoso ter dinheiro. É perigoso ser um homem negro. Tanto ódio. Vivemos como os nossos irmãos e irmãs no terceiro mundo vivem. Aqui, na América. As decisões que tomamos sobre as nossas vidas são tomadas a partir da perspetiva de que podemos não viver. Está tão enraizado. Não se resolve com facilidade. É difícil corrigir alguma coisa quando as crianças ainda estão a viver na pobreza”.

Não vou desligar, no entanto. O Nipsey era uma verdadeira voz. Nunca vai ser silenciado. Continua a ser um general que se levantou pelas pessoas e nunca as deixou. É amado pelas pessoas. As minhas orações são para a sua família. (…) Adoro-te Rei Nipsey Hussle / Ermias Asghedom. Respeitosamente, Nasir Jones

View this post on Instagram

We are at a great loss today. This hurts. Straight to the point. It’s dangerous to be an MC. Dangerous to be a b-ball player. It’s dangerous to have money. Dangerous To Be A Black Man. So much hatred. We live like our brothers and sisters in third world countries live. Right in America. Decisions we make about our own life be based on decisions cuz we might not live. Its so deep rooted. It’s not a easy fix. Hard to fix anything when kids are still living in poverty. I ain’t shutting up though, Nipsey is a True voice. He will never be silenced. He still is A stand up General for the People who never left his people. He is Loved by the people. Prayers for his family. Let’s keep pushing Truth for The Man. Love You King Nipsey Hussle/ Ermias Asghedom Respectfully, Nasir Jones

A post shared by Nasir Jones (@nas) on

O rapper e cantor Drake também já reagiu às notícias da morte de Hussle. Na sua conta oficial de Instagram, partilhou uma fotografia do rapper assassinado com a seguinte descrição: “Porra. Toda a minha energia está no fundo por ouvir isto. Ainda há pouco nos falámos pela primeira vez em alguns anos e dissemos que íamos fazer uma canção nova juntos este verão, porque já passou muito tempo”. Os dois tinham gravado juntos o tema “Killer”, lançado em 2013.

Estavas no teu melhor momento e estava tão feliz por ver à distância. (…) Eras uma verdadeiro para as tuas gentes e para o resto de nós. Só estou a fazer isto [esta homenagem] aqui porque quero que o mundo saiba que vi-te como um homem de respeito e um don. Descansa em paz, meu g”, apontou ainda Drake.

Também a cantora SZA, isto é, Solána Imani Rowe — uma das figuras de relevo do R&B e da pop dos Estados Unidos da América — reagiu à morte de Nipsey Hussle, através das redes sociais.

O battle rapper e artista do mundo hip-hop, Daylyt, publicou um vídeo no Youtube no qual se pronuncia sobre a morte de Hussle. “Eu estou cansado. Eu estou no ponto  da minha vida em que sinto que deveria investir todo o meu dinheiro num míssil nuclear e lançá-lo em L.A.”:

No Twitter, a equipa de basquetebol Los Angeles Lakers também se pronunicou sobre a morte do rapper, deixando a sua homenagem:

O rapper Kendrick Lamar deixou a sua homenagem a Nipsey Hussle durante um concerto na Argentina na noite de ontem:

https://twitter.com/DebatesMusic/status/1112619173098618881

A internet continua a reagir ao acontecimento, defendendo a integridade do artista e os valores que este defendia. Numa entrevista ao programa de rádio The Breakfast Club no início do ano passado, Hussle fala a propósito do documentário em que estava a trabalhar sobre o Dr. Sebi, conhecido por curar todas as doenças com ervas e com base numa dieta vegan, dizendo que acredita que o Dr. Sebi foi morto com medo de que a sua mensagem se espalhasse e afetasse a indústria farmacêutica:

Nipsey Hussle, cujo nome verdadeiro é Ermias Asghedom, começou a sua carreira em 2005 ao lançar a sua primeira mixtape, “Slauson Boy Volume 1”, que se tornou posteriormente o nome de sua própria gravadora. Na última cerimónia dos Grammys esteve nomeado para o grammy de Melhor Álbum Rap pelo seu álbum “Victory Lap”, lançado o ano passado. Além da música, o rapper era conhecido por dar empregos a pessoas que viviam em más condições, alguns deles sem casa.